ANO: 25 | Nº: 6313
03/04/2018 Fogo cruzado

Beatriz Souza deixa base do governo municipal

Foto: Sidimar Rostan/Especial JM

Vereadora reforça que posição é particular e ainda não foi deliberada pelo partido
Vereadora reforça que posição é particular e ainda não foi deliberada pelo partido

A líder da Rede Sustentabilidade no Legislativo bajeense, vereadora Beatriz Souza, deixou a base de sustentação do governo municipal. A posição foi anunciada em discurso, durante a sessão ordinária de ontem, após a manifestação do líder do governo, vereador Graciano Aristimunha, do DEM. O parlamentar havia ocupado o púlpito para retomar um debate iniciado na semana passada, sobre a renovação do convênio da prefeitura com o Núcleo Bajeense de Proteção aos Animais (NBPA). “Não faço barganha com o projeto de proteção animal”, disse ela.
A manifestação de Beatriz não representou, na prática, um contraponto ao posicionamento de Graciano. O Democrata afirmou, basicamente, que o Executivo trabalhava uma proposta. “É desejo do governo, prorrogar o convênio (encerrado no dia 31 de março) por mais dois meses, até a realização de uma licitação, que vai definir quanto o município pode alcançar ao núcleo”, disse o vereador.
Beatriz já havia abordado a situação do convênio na quinta-feira, 29. Ontem, entretanto, ela foi enfática ao sugerir uma alternativa para custear a manutenção do serviço. “Eu tenho como falar onde conseguir dinheiro. Diminuam o valor dos CC’s (cargos de confiança), que foram aprovados. E não me usem para coagir pessoas que trabalham voluntariamente. Estou aqui pela proteção animal e vou defender até os últimos dias da minha vida”, reforçou.


Diálogo
Em entrevista, a vereadora revelou que o rompimento foi definido por uma conjuntura, que transcende a questão com o NBPA. “Não tem mais diálogo. Não estou rompendo pelo núcleo, e sim por todo um contexto. Sou vereadora da causa animal, sim. Sou apoiadora do núcleo, mas não posso responder pelo núcleo. Ocorre que, quando peço informações, que está no meu direito, não recebo respostas. A lei orgânica não está sendo respeitada”, disse.


Posicionamento

Na eleição de 2016, a Rede formou uma coligação proporcional com o PSC, que elegeu um parlamentar, e com o PTB, que mantém a maior bancada da Câmara. Ontem, Beatriz chegou a destacar, durante discurso, que os quatro cargos do partido no governo municipal estavam à disposição.
A vereadora, porém, ainda não havia informado sua posição à representação estadual da Rede. Ela comunicou o posicionamento à deputada estadual Regina Becker, mas adiantou que a executiva ainda seria notificada, formalmente. “A saída é uma posição pessoal”, reforçou.
Beatriz também garantiu, em entrevista, que não vai ‘pessoalizar’ as votações em plenário. “Não levo para o lado pessoal. Se tiver que aprovar leis do governo, que forem boas para a comunidade, votarei a favor. O que for ruim, vou votar contra. Estou no meu direito de votar”, exemplificou.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...