ANO: 254 | Nº: 6355
11/04/2018 Campo e Negócios

Produção de 230 milhões de toneladas de grãos é segundo recorde, diz Conab

Foto: Taline Schneider/EspecialJM

Milho primeira safra foi um dos impulsionadores da boa estimativa
Milho primeira safra foi um dos impulsionadores da boa estimativa

 

A estimativa atual da colheita de grãos no Brasil deverá manter o recorde de segunda maior safra da história, com uma produção de 229,5 milhões de toneladas. Os números estão no sétimo Levantamento da Safra de Grãos 2017/2018, divulgado ontem, pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab).

Apesar do decréscimo de 3,4% em comparação à safra passada, que chegou a 237,7 milhões de toneladas, o número é ainda bastante elevado, se considerada a média de produção no Brasil em condições atmosféricas normais. Em relação ao mês de março, por exemplo, a estimativa de safra este mês mostrou uma elevação de 3,5 milhões de toneladas (1,5%).

A boa estimativa, conforme a Conab, deve-se ao resultado do avanço das colheitas da soja e do milho primeira safra, que vêm confirmando boas produtividades e uma perspectiva maior de área para a segunda safra. Já a produtividade recorde da safra passada, que foi beneficiada por um excelente clima, não se repetiu agora, mesmo com a situação climática considerada boa na maioria das regiões produtoras. 

A soja é a maior responsável pelo desempenho exemplar da produção. A leguminosa deve alcançar 114,9 milhões de toneladas. O algodão em pluma novamente marca presença neste levantamento, com uma produção de 1,9 milhão de toneladas, que representa 21,8% a mais que a safra anterior. O feijão segunda safra também obteve bom desempenho e deve colher 1,29 milhão de toneladas, com aumento de 7,3%. 

Área
Segundo o levantamento, as culturas de soja e milho primeira safra estão em fase final de colheita. A área estimada sinaliza um aumento de 0,8% comparado ao período anterior, atingindo 61 milhões de hectares (ha). Na ordem crescente de ganho absoluto da área plantada, vem primeiro a soja, com 1,2 milhão de hectares, em seguida o algodão (205,6 mil ha) e o feijão segunda safra (115,4 mil ha), com destaque para a espécie caupi. 

Com os ganhos obtidos, a área total da soja ficou em 35 milhões de hectares. Outros destaques em relação à área foram o milho segunda safra (total de 11,5 milhões de ha), o milho primeira safra (5 milhões), o feijão segunda safra (1,5 milhão) e o algodão (1,1 milhão).

Deixe seu comentário abaixo

Em tempo real

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...