ANO: 24 | Nº: 5987

Rochele Barbosa

rochelebarbosa@gmail.com
Jornalista formada pela Universidade da Região da Campanha. Responsável pela produção e reportagem do caderno de Saúde do Jornal MINUANO
16/04/2018 Caderno Minuano Saúde

Dança e Saúde

Foto: Divulgação

Dançar é uma das formas de eliminar a monotonia de nossas vidas, o que realmente pode beneficiar em nossa saúde emocional, mental e física. Quando decidimos iniciar algum tipo de exercício, devemos considerar o nível de diversão que esse exercício pode nos proporcionar. E a dança é isso, diversão.

A dança é uma grande atividade para pessoas com risco de sofrerem doenças cardiovasculares. Um estudo italiano demonstrou que pessoas com insuficiência cardíaca, que praticaram a dança como opção de exercício, melhoraram o desempenho do coração, bem como a respiração e a qualidade de vida, de maneira significativa, em comparação com aqueles que pedalavam ou caminhavam em esteiras.

A perda de peso é outro dos benefícios que a dança proporciona se praticada com regularidade. Um estudo realizado pelo Journal of Physiological Anthropology demonstrou que um programa de exercício aeróbico de entretenimento, tal como a dança, é tão útil para a perda de peso e o aumento da potência aeróbica quanto o ciclismo ou a corrida. Uma pesquisa publicada no The Scholarly Publishing and Academic Resources Coalition, demonstrou que um programa de dança semanal poderia melhorar o rendimento físico e aumentar os níveis de energia em adultos.

Nesta edição, o professor de Dança da Academia Viva Vida, Cristian Ribeiro irá contar sobre as atividades desenvolvidas no local e o benefício para a saúde.

 

Prevenindo doenças e divertindo-se

O profissional de Educação Física, Cristian Ribeiro explica que ao exercitar-se aumenta a expectativa de vida, o estimulo de nascimento de novos neurônios e conseqüentemente combate a depressão. “Com certeza, auxilia na saúde porque interfere no aspecto físico e emocional de maneira há melhorar ambas as atribuições como condicionamento físico, manutenção de peso, elevação cardiovascular assim melhorando o fluxo sangüíneo e desempenho motor”, explicou.

Ribeiro enfatiza que no aspecto emocional faz com que o executor da atividade libere a sensação de bem- estar durante a sua prática sendo assim a melhora do humor e autoestima. “O exercício físico em seu contexto aumenta a imunidade, estimula a liberação da endorfina hormônio da felicidade”, ressalta.

 

Modalidades oferecidas pela academia

 

  • Ballet clássico em níveis e turmas: Baby class (três a quatro anos)
  •  Iniciação dos (cinco a seis anos)
  • Básico I - (sete a nove anos)
  • Básico II- (10 a 12 anos)
  • Intermediário- (13 aos 15 anos)
  • Avançado - (16 a 18 anos)

“Preparatório para qualquer gênero de dança desenvolve a sensibilidade, flexibilidade, força, disciplina e a postura. No ballet os alunos tendem a iniciar na idade prescrita a cada faixa etária, porém, o mesmo ao ingressar na academia se vier proveniente de um breve conhecimento de base clássica será integrado na turma que lhe cabe. Assim passando por toda seqüência citada acima. O ballet clássico é a base para as demais danças. Cada um pode escolher o que achar melhor”, completou.

 

Modalidades

*Ballet Fitness a partir dos 16 anos.

Intercala movimentos do ballet clássico e exercícios de academia, utilizando o peso do próprio corpo para definir, melhorar a força a flexibilidade e o equilíbrio, bem como queimar calorias.

 

*Jazz Dance e Street Jazz dividi-se em:

  • Jazz Infantil (até 11 anos)
  • Jazz infanto-juvenil (12 a 14 anos)
  • Jazz juvenil (15 a 17 anos)

 

O jazz em sua contextualização trabalha a amplitude de movimentações que priorizam ganho e exploração no espaço vivido e concebido nas composições coreográficas visando o desempenho global e execução tendo impulsão por ser uma dança de explosão e delineamentos constantes.

 

*Dança de Salão

Esta modalidade tem por objetivo trabalhar a amplitude de ritmos que permeiam nosso imenso leque da musicalidade como: bolero, forró, samba, salsa, sertanejo entre outros.

 

*Ritmos Dance Fitness 

Trabalha o imenso grupamento muscular, melhora a coordenação motora, o equilíbrio e a agilidade, trabalhando membros superiores e inferiores como também coxas, glúteos, braços, pernas, abdômen em prol da perda de calorias, tonificação muscular, e melhora no condicionamento físico. Critérios contextualizados com base em coreografias vivenciadas em diversos ritmos como axé, reggaton, forró, salsa, samba, funk entre outros ritmos.

Ribeiro salienta que as pessoas têm procurado algo que vá ao encontro de suas necessidades e lhe sejam atrativas. “Entretanto há também aqueles que procuram como uma atividade extra ou para burlar o sedentarismo e assim aprender algo se divertindo”, relata.

A saúde fica melhor, pois o sistema imunológico entra em estado de alerta, melhorando o fluxo sangüíneo, todavia nutrientes e proteínas bem como as defesas do corpo tornam-se mais ativas e desempenham melhor seu papel, salienta o profissional. “A auto estima está na plena participação em realizar algo”, explica.

O professor também acrescenta dizendo que todos podem praticar. Entretanto o profissional procurado saberá indicar qual modalidade será propicia para cada situação. “Penso que cada ser é único em seu contexto e contextualização, porém, com o tempo, nos tornamos seres mutáveis expostos a diversas mudanças, relacionando isto à dança, compreendo que existe uma característica chamada identidade biológica onde o individuo traz consigo uma carga sociocultural que poderá ser hereditária ou não. Porém, somente vivenciando outras culturas e atividades aculturadas este ser encontrara sua resposta”, concluiu.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...