ANO: 25 | Nº: 6405
19/04/2018 Cidade

Sindicatos rejeitam proposta do governo para aumento no salário de servidores municipais

Foto: Rosane Coutinho

Sinprofem realizou assembleia
Sinprofem realizou assembleia

As propostas apresentadas pelo governo municipal para atender as demandas dos servidores públicos foram debatidas, terça-feira, em assembleias do Sindicato dos Municipários de Bagé (Simba) e do Sindicato dos Professores Funcionários dos Estabelecimentos de Educação Municipal de Bagé (Sinprofem). Discutido em ambas reuniões, o projeto de lei que formaliza o aumento real de 1,81% no salário dos servidores do município foi igualmente rejeitado pelas duas entidades.
Conforme o presidente do Simba, Clodoaldo Fagundes, os associados questionaram o resultado, pois o índice utilizado para calcular o reajuste foi o IGP-M, que teve resultado negativo, em 2017.
O advogado do Sinprofem, Guilherme Batista, complementa ao dizer que em outros anos o aumento nos salários dos servidores foi calculado tendo como base o Índice de Preços ao Consumidor (IPCA), que terminou o ano passado com resultado positivo de 2,95%, o que garantiria um valor diferente de repasse.
Quanto à declaração do Executivo em formalizar o reajuste de 6,81%, referente ao Piso Nacional do Magistério, os sindicatos não tiveram objeções. Batista destaca que ao repassar o reajuste, o governo está fazendo sua obrigação com a lei. A estimativa é que o município invista, aproximadamente, R$ 4,5 milhões por ano para o repasse reajustado do piso.

Vale-alimentação
Outra medida apresentada pelo Executivo, e rejeitada nas assembleias, foi a elevação do vale-alimentação, de R$ 12,10 para R$ 20 por dia trabalhado, com contribuição do servidor de 5%. Os representantes dos sindicatos comentam que a taxa de contribuição é o principal motivo para a rejeição da proposta, sendo que os trabalhadores consideraram demasiadamente alta em relação ao aumento do valor.

Respostas das entidades
Fagundes afirma que o Simba entregará um documento com estas e outras respostas às propostas do governo municipal. A documentação, segundo o presidente, deve ser apresentada pelo sindicato, ao Executivo, com a esperança de que suas reivindicações sejam ouvidas. Já o Sinprofem, pretende publicar uma nota de resposta para divulgar sua posição oficial perante as propostas da prefeitura.
Os sindicatos afirmam que a elaboração de projetos, como a concessão de terrenos para suas sedes e o repasse de 300 unidades residenciais para os funcionários com menor renda, foram apresentados aos associados, mas não são de cunho sindical.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...