ANO: 25 | Nº: 6437
20/04/2018 Cidade

Fornecimento de água para Serrilhada foi pauta de encontro na Prefeitura

Foto: Patrícia Leal/Especial JM

Autoridades, representantes de instituições e a comunidade em geral participam do evento
Autoridades, representantes de instituições e a comunidade em geral participam do evento

Uma reunião realiza da ontem, no salão nobre da Prefeitura de Bagé, deu continuidade à luta da comunidade brasileira da Serrilhada, para que seja fornecida água do lado uruguaio para a localidade. Autoridades, representantes de instituições e a comunidade em geral participaram do encontro que encaminhou a situação para os governos dos dois países.
Há 23 anos, municípios da região disponibilizam luz para a localidade fronteiriça da Cerrillada na parte uruguaia. Desde janeiro de 2017, o Governo Municipal de Bagé, com Dom Pedrito e Rivera, tenta aumentar a parceria, solicitando que o Uruguai disponibilize água para o lado brasileiro, que conta com dezenas de famílias.
As tratativas foram retomadas em janeiro do ano passado, já que o governo anterior iniciou os trâmites, porém sem avanços concretos. O segundo passo, ocorreu no dia 02 de maio, na própria localidade, quando o vice-prefeito de Bagé, Manoel Machado; o prefeito de Dom Pedrito, Mário Augusto de Freire Gonçalves; o intendente de Rivera, Marne Osorio Lima; e o deputado federal uruguaio Tabaré Vieira Duarte, assinaram uma carta de intenção, que garante que ambos os lados estavam dispostos em realizar os trâmites legais para que o país vizinho possa ceder água às casas do lado brasileiro.
Em agosto, mais duas agendas foram cumpridas pelo lado bajeense. O prefeito Divaldo Lara recebeu Osório, no dia 23, no gabinete e combinaram a busca por agilidade nos trâmites nas esferas estaduais dos dois países para garantir o fornecimento de água. Já no dia 29, na Capital da Paz, Divaldo reiterou a busca pelo objetivo e falou sobre a união das partes: “A força de trabalho e a união tem sido as marcas da gestão do nosso governo e os resultados positivos nos mostram que essa é a fórmula correta. Unidos, cresceremos muito mais”, destacou.
Já na reunião ocorrida neste dia 19, José dos Santos Rosa de Oliveira, Secretário-Executivo do Núcleo de Fronteira do Estado do Rio Grande do Sul, falou sobre o intento: “Cheguei ontem na região e fui imediatamente visitar a Serrilhada, porque para falar de um assunto precisamos conhecer a situação de perto”
O anfitrião do debate e vice-prefeito, Manoel Machado, destacou o empenho das cidades para resolver a situação: “Desde que assumimos o governo temos participado ativamente nesta questão. Estamos empenhados em realizar todos os trâmites necessários para que a água seja disponibilizada para o lado brasileiro da fronteira”, salientou.
Pelo lado uruguaio, o cônsul Mario Liori Sânches discorreu sobre o tema: “Existem Leis na Constituição do país que precisam ser cumpridas para que o intento seja conquistado, mas não existem nenhum inconveniente político para isso, o parlamento uruguaio certamente irá aprovar”, garantiu.
Pelo Itamaraty, esteve presente Milton Rondó Filho, através do Escritório de Representação no Rio Grande do Sul (Eresul). “Além, é claro, de uma matéria essencial para qualquer pessoa que é a água potável, a Serrilhada tem um potencial turístico enorme. Vamos agilizar esta questão imediatamente”.
As próximas etapas serão as seguintes: o governo federal do Brasil realizará o pedido formal, através da documentação para autoridades uruguaia que levarão para votação no país vizinho. Após a aprovação, está autorizado o começo das obras.
Representantes da Emater e da Corsan estiveram presentes. Pelo município, além de Machado, a Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, Secretaria de Desenvolvimento Rural, Secretaria de Segurança e Mobilidade Urbana, e Coordenadoria de Relações Comunitárias estiveram presentes na reunião.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...