ANO: 24 | Nº: 6057
23/04/2018 Campo e Negócios

Passaporte morfológico de Bagé define seus finalistas

Foto: Leandro Vieira/ABCCC

Reservado Do Liscano-TE, da Fazenda Liscano, de Arroio Grande, foi o grande campeão entre os machos
Reservado Do Liscano-TE, da Fazenda Liscano, de Arroio Grande, foi o grande campeão entre os machos

Berço do Cavalo Crioulo, o município de Bagé foi uma das diferentes localidades a sediar provas da raça. Entre os dias 20 e 22, o Parque Visconde de Ribeiro Magalhães, da Associação e Sindicato Rural, recebeu dezenas de criadores e expositores que sonhavam em ver seus animais conquistando uma das oito vagas que levam até a grande final morfológica, que ocorrerá em Esteio. Com 71 exemplares confirmados, o evento teve início logo na sexta-feira, para reconhecimento de pista e adaptação.
Cenário de grandes campeonatos morfológicos, a tradicional e histórica pista de Bagé proporcionou um show de imagens, durante esses três dias de prova. Abaixo de constantes variações entre sol e chuva, o jovem, porém, experiente jurado, Francisco Silveira avaliou com cautela cada animal apresentado. Integrante da primeira lista de jurados desde 2014, ele ainda protagonizou uma cena que sensibilizou a todos que acompanhavam a prova. Durante a avaliação das éguas, ele não conteve as lágrimas e demonstrou toda a sua emoção e apreço pelo cavalo Crioulo. “Para a gente que gosta de selecionar cavalo, de andar a cavalo e gosta da raça, ver aquele time de éguas é uma satisfação. Eu me emocionei muito quando consegui ordenar e consegui qualificar as éguas. Eram cinco trios soltos dentro dessa mangueira, andando de um lado a outro para todo mundo ver, sem se misturar. Eram trios homogêneos entre eles e as éguas bem entropilhadas. Um trabalho humano, mas também de raça, de seleção. Para mim, foi uma honra, porque os criadores tiraram, de casa, éguas que desempenham um papel importante dentro da manada, para escutar o comentário de um jurado. Tu olha para essas éguas e imagina as filhas, imagina tudo o que elas vão produzir e imagina tudo o que elas já fizeram. Isso que me emocionou”, disse.
Silveira ainda salientou um ponto importante dessa passaporte. De acordo com o jurado, Bagé é considerada uma pista pesada, não pelo aspecto do solo, mas porque a região é conhecida por apresentar criadores de peso. “Criadores que selecionam, criadores com critério, criadores preocupados com a nossa raça. E justamente por esse motivo, aqui, continua sendo um polo muito importante na criação”, acrescentou.
Para o criador Manoel Sarmento, proprietário das éguas Demora Chico e Alma Negra Chico - grande campeão e terceira melhor fêmea, respectivamente -, foi uma alegria muito grande participar dessa passaporte e sagrar-se campeão. “Sem sombra de dúvidas, esse resultado coroa um trabalho de muito tempo. Desde o dia a dia no campo, acasalamentos e os critérios de seleção. Quando a gente ganha, em meio a um grande número de participantes de qualidade, é uma satisfação muito completa como criador”, comentou.
Sarmento conta que a decisão de passaportear em Bagé se deu pelo fator localidade (estar em casa e fazer parte do núcleo). “Os eventos prioritários são os do nosso núcleo e da nossa cidade. Primero lugar aqui, depois pensamos em ir em outros”, afirma. Os animais já estão acostumados a participar de eventos como esse. Ambas já foram passaporteadas em anos anteriores e já disputaram a Expointer. Para ele, o resultado só confirma a qualidade nas pistas e da orientação proporcionada.
De acordo com a organização do evento, a passaporte superou todas as expectativas. Devido aos números da prévia da FICCC, onde já passaram mais de 100 animais, o presidente do Núcleo de Criadores de Cavalos Crioulos de Bagé, Luís Mário Dias, acreditava que a "briga" seria grande. “Mas, devido à parceria da diretoria e à parceria dos criadores da região, nós conseguimos fazer uma bela exposição e receber a inscrição de 102 animais, no total” conta. Além disso, ele ressalta que é fundamental para o núcleo sediar eventos como esse, "pois é uma forma de vir gente de fora e de apresentar o núcleo para todo o Brasil e até fora dele". “E por isso nos sentimos muito lisonjeados”, garante.

Os vencedores

Entre as fêmeas, a vencedora foi Demora Chico, filha de Faceiro do Recanto Crioulo e Zona Secreta Chico, do criador e expositor Manuel Rossell Sarmento, proprietário da Cabanha Estância São Francisco, de Bagé. Segundo o júri, as fêmeas apresentaram um nível fora de sério, muito bom em volume e em quantidades de éguas boas. "Hoje, a gente entrou no grande campeonato com cinco éguas, mas, na verdade, tinham dez éguas aptas a ganhar o título. A minha escolha foi por um detalhe. Detalhe de qualidades mais acentuadas em alguns animais. Na avaliação, a grande campeã, ao meu ver, tem uma linha muito importante que a gente deve preservar, que é a dosagem entre a feminilidade e o polimento. Ela se apresentou muito bem, com evolução nas suas andaduras, principalmente nas andaduras montadas. É uma égua domada, que dá gosto de a gente montar. A gente vê e já imagina ela encilhada, numa pista e depois em cria. Por isso é uma égua completa”, disse Silveira.
Já entre os machos, o vitorioso foi Reservado Do Liscano-TE, filho de Festeiro do Itapororó e Las Misiones Que Guapa, do criador e expositor Pietro e Giuliano Pereira Zanetti, da Cabanha Fazenda Liscano, de Arroio Grande. O exemplar superou os demais por uma diferença de possíveis erros que os outros tenham cometido. "A gente, como jurado, aponta o que estamos vendo naquele momento e encara isso como pontos positivos ou pontos negativos, qualidades desses animais. Então ele superou os outros por faltas de defeitos gravas. É um cavalo que falta algumas coisas ainda para ele se tornar um exemplar melhor; é um cavalo muito retangular; gostaria que ele fosse mais profundo e que tivesse mais força no seu lombo, mas é um cavalo muito interessante, um cavalo comprido, que caminha muito bem e se apresentou muito bem encilhado. Resumindo, um macho importante", disse o avaliador da prova.

Resultado completo

Jurado: Francisco Silveira

Técnico: Alexandre Pons Suñé

Nº de participantes: 71 animais confirmados

Fêmeas

Grande Campeã

Demora Chico, filha de Faceiro do Recanto Crioulo e Zona Secreta Chico; criador e expositor Manuel Rossell Sarmento; Cabanha Estância São Francisco – Bagé/RS.

Reservada Grande Campeã

Jv Nuestra Esperanza, filha de Alto Astral de Santa Edwiges e Bela Dona 633 Maufer; criador e expositor Jorge Luís Martins de Vasconcelos; Cabanha Crioulos Santa Fé – Triunfo/RS.

3ª Melhor Fêmea

Alma Negra Chico, filha de Piraí 1569 do Brazão e Pícara Chico; criador e expositor Manuel Rossell Sarmento; Cabanha Estância São Francisco – Bagé/RS.

4ª Melhor Fêmea

Campana Cantina, filha de Triunfo Do Purunã e Campana Ufana; criador e expositor Mário Moglia Suñe; Cabanha Campana - Bagé/RS.

Machos

Grande Campeão

Reservado do Liscano-Te, filho de Festeiro Do Itapororó e Las Misiones Que Guapa; criador e expositor Pietro E Giuliano Pereira Zanetti; Cabanha Fazenda Liscano - Arroio Grande/RS.

Reservado Grande Campeão

Balconero Flor Do Tabulero, filho de BT Juruna e Oferta Do Xiniquá; criador e expositor Mauro Luciano De Melo; Cabanha Agropecuária Tabulero - Eugênio de Castro/RS.

3º Melhor Macho
Farrapo Calmaria, filho de Maragato dos Alpes e Artimanha da Escondida ; Criador e expositor Ricardo Sandi e Silvia Helena Leal Costa; Cabanha Fazenda Don Gaspar - Lavras Do Sul/RS.

4º Melhor Macho

Vanerão II De Santa Thereza, filho de Sedutor Tupambaé e La Tradicion de Santa Margarida; criador e expositor Rodolfo Belmonte Móglia; Cabanha Estância Santa Maria – Bagé/RS.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...