ANO: 25 | Nº: 6331

Dilce Helena Alves Aguzzi

dilcehelenapsicologa@gmail.com
Psicóloga
01/05/2018 Dilce Helena Alves Aguzzi (Opinião)

Primeiro dia do mês de maio

Neste dia dedicado ao trabalho e ao trabalhador, mais do que curtir o feriado, seria muito bom honrar a data procurando tudo aquilo que merece nosso esforço, todas aquelas coisas que valem a pena o empenho, e nem sempre o fazemos, ou vamos empurrando para depois.

Vale lembrar que muita coisa creditada à sorte, na maioria das vezes,é uma questão de dar-se ao trabalho:

- Em vencer obstáculos, superar a preguiça que nos impede de realizar grandes e pequenos projetos.

- De estar junto nos momentos mais importantes e também nos mais simples e cotidianos daquelas pessoas que são importantes para nós.

- De saber reconhecer um engano, um erro, um vacilo e pedir desculpas, dizer que nos importamos.

- De ouvir, mesmo quando o interlocutor não está a dizer coisas agradáveis de se ouvir.

- Em desobstruir a vida retirando os entulhos que travam nossa energia, nossa força vital, tais como mágoas, antigos preconceitos e ideias empoeiradas.

Dá trabalho sim e vale muito a pena:

- Ajudar alguém que merece e quem não merece também.

- Demonstrar sentimentos em palavras e também em gestos.

- Rever uma posição, voltar atrás, mudar de opinião.

- Cultivar amizades. Desacomodar-se e procurar por aqueles que gostamos, além da zona de conforto proporcionada pela internet.

- Cansar, suar em busca de um objetivo, dar duro por uma conquista, mesmo que demore, mesmo que ninguém saiba pelo que estamos lutando, mesmo que não faça sentido para ninguém mais, além de nós mesmos.

- Gastar alguns minutos de nosso tempo e ajudar uma criança a compreender um pouco mais sobre a vida, através do estudo, da leitura, do encanto de uma boa história. 

Vale a pena dar-se ao trabalho de praticar um esporte, de colecionar algo, procurar a história de alguém que admiramos.

Pode ser trabalhoso descobrir as histórias de nossa família, nossos pais, nossos avós, e este trabalho nos recompensa com pistas a respeito de como nos tornamos quem somos e em quem estamos nos tornando.

Enfim, dar-se ao trabalho de mergulhar em si mesmo, ouvir nossos sons e silêncios internos, enfrentar nossas batalhas e tentar descobrir um pouquinho mais de nós mesmos a cada dia.

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...