ANO: 24 | Nº: 6061

Rochele Barbosa

rochelebarbosa@gmail.com
Jornalista formada pela Universidade da Região da Campanha. Responsável pela produção e reportagem do caderno de Saúde do Jornal MINUANO
07/05/2018 Caderno Minuano Saúde

O uso racional de medicamentos

Foto: Divulgação

Os medicamentos assumem importante papel no setor saúde e social, pois são desenvolvidos e elaborados para suprirem as necessidades humanas, contribuindo para a qualidade de vida. Entretanto, seu consumo deve ser indicado, monitorado e, se necessário, suspenso por profissional habilitado quando incorre em prejuízo ao usuário.

Estimativas comprovam que pelo menos 35% dos medicamentos adquiridos no Brasil são consumidos através de automedicação. Também representam cerca de 27% dos casos de intoxicações. Além disso, 50% de todos os medicamentos são prescritos, dispensados ou usados inadequadamente, e os hospitais gastam em média 20% de seus orçamentos para lidar com as complicações causadas pelo mau uso dos mesmos.

A falta de compreensão sobre o correto uso de medicação compromete o tratamento farmacológico, assim como sua aquisição.

Nesta edição, as professoras e farmacêuticas do curso de Farmácia da Universidade da Região da Campanha (Urcamp) explicam como utilizar os medicamentos de forma correta.

Como o profissional farmacêutico pode auxiliar no uso das medicações?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) informa que o uso racional de medicamentos ocorre quando pacientes recebem medicações apropriadas para suas condições clínicas, em doses adequadas às suas necessidades individuais, por um período adequado, e ao menor custo para si e para a comunidade. Salienta-se, ainda, nesse conceito, a adequada destinação de medicamentos em desuso em ambiente domiciliar ou hospitalar.

Falhas no uso racional de medicamentos resultam em erros de medicação, os quais podem acarretar sérias consequências aos pacientes, profissionais e instituições de saúde. Eles resultam de múltiplas causas, dentre elas a ilegibilidade, falta de informações nas prescrições e incompreensão da mesma.

De acordo com a farmacêutica Ana Paula Simões Menezes, o profissional farmacêutico clínico, através da prática do cuidado e da atenção farmacêutica, pode contribuir para desenvolver, implementar e monitorar ações voltadas à correta utilização de medicamentos. “Logo, orientações aos indivíduos usuários de medicamentos, principalmente aos polimedicados são uma necessidade, e o profissional farmacêutico contribui no processo de educação ao correto uso do tratamento farmacológico, na análise da história da medicação e do estado de situação relacionado à necessidade, efetividade e segurança do uso dos medicamentos”, enfatiza.

Atentos ao problema, os conselhos de farmácia se uniram em uma campanha nacional de promoção da adesão às terapias medicamentosas e ao seu uso seguro e racional. A iniciativa é em comemoração ao Dia Nacional do Uso Racional de Medicamentos, 5 de maio.

No Rio Grande do Sul, a Semana do Uso Racional de Medicamentos foi instituída de 5 a 11 de maio, com a lei n°14.627/14. Com o tema "Antes de usar qualquer medicamento, consulte o seu farmacêutico", o objetivo da ação é informar e conscientizar a sociedade sobre os riscos da automedicação e da importância da assistência farmacêutica.

Ana Paula destaca que o curso de Farmácia da Urcamp, aderiu a essa iniciativas, elencando ações a serem realizadas durante a Semana do Uso Racional. Nesse sentido, firmou parceria com a Secretaria Municipal de Saúde e Atenção à Pessoa com Deficiência, para assistir pacientes usuários de medicamentos para agravos crônicos em saúde nas Unidades Básicas em Saúde (UBS) do município de Bagé. Também está previsto o lançamento do vídeo institucional do curso de Farmácia sobre uso racional de medicamentos e uma ação comunitária na Praça Silveira Martins.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...