ANO: 26 | Nº: 6491
08/05/2018 Cidade

Engie retoma negociações para venda da Pampa Sul

Foto: Fábio Quadros/Especial JM

Usina terá capacidade de produção de 340 megawatts
Usina terá capacidade de produção de 340 megawatts

As negociações para a venda dos ativos de carvão da Engie Brasil foram retomadas. O processo iniciou em 2017, com a prospecção de mercado, resultando em várias propostas de empresas interessadas nas compras. Desde dezembro de 2017, a empresa CountorGlobal passou a ter preferência no negócio, porém as negociações não avançaram satisfatoriamente e, então, foram encerradas no final de março de 2018.
Porém, segundo o gerente socioambiental da UTE Pampa Sul (Miroel Wolowski), Hugo Stamm, quando a empresa CountorGlobal desistiu do negócio, a Engie Brasil deu continuidade ao processo de venda da usina, em fase final de construção, em Seival, no município de Candiota, que terá a capacidade de produção de 340 megawatts, assim como do Complexo Termelétrico Jorge Lacerda, em operação em Capivari de Baixo, em Santa Catarina, e que produz 857 megawatts. "Estamos reavaliando as propostas de outros potenciais compradores realizadas durante a etapa de prospecção de mercado, sem prazo para conclusão", disse.

Andamento da obra em Candiota

Na segunda quinzena de abril, o corpo técnico de operação e manutenção da Pampa Sul recebeu novos integrantes. Foram contratados dez operadores de usina, nove técnicos em manutenção mecânica e três técnicos em manutenção elétrica, todos formados nos cursos pós-técnicos desenvolvidos desde 2016, por meio da parceria entre o Senai/Bagé e a Engie Brasil Energia.
Conforme o gerente regional do Rio Grande do Sul da empresa, Renato Schmidt Barbosa, as contratações foram possíveis após processo seletivo e avaliação psicológica dos candidatos. "Com estas novas contratações, a Engie Brasil Energia cumpre, novamente, o compromisso de absorver e contratar mão de obra técnica especializada local, fato que evita a necessidade de migração de profissionais de outras regiões", relata ele.
Neste primeiro momento, os novos contratados realizarão cursos relativos à segurança e medicina do trabalho para, após, participarem das atividades em andamento e, em paralelo, receber capacitação dos próprios funcionários da usina.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...