ANO: 25 | Nº: 6381
11/05/2018 Campo e Negócios

Mudança em projeto de construção da ponte sobre o Rio Jaguarão é debatida

Foto: Roberto Witter/ALRS

Grupo entregou ao deputado Fábio Branco relatório fotográfico que aponta condições da estrutura atual
Grupo entregou ao deputado Fábio Branco relatório fotográfico que aponta condições da estrutura atual

Representantes do Consórcio Público Intermunicipal de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental dos Municípios da Bacia do Rio Jaguarão (Cideja) e o deputado estadual Fábio Branco (MDB) discutiram, ontem, a construção da nova ponte sobre o Rio Jaguarão, na divisa entre os municípios de Aceguá, Candiota e Hulha Negra. A reunião ocorreu na Assembleia Legislativa.
Durante o encontro, agendado pela vereadora de Aceguá, Liziane Jardim (MDB), o presidente do Cideja e prefeito de Candiota, Adriano Castro dos Santos, entregou ao deputado um relatório fotográfico que aponta as condições da estrutura atual.
O processo licitatório, segundo informado, foi realizado e a empresa que irá realizar a construção da nova ponte já está definida. No entanto, engenheiros da construtora, em comum acordo com técnicos do Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (Daer), identificaram a necessidade de alterações no projeto. “Essa modificação é em relação às fundações. O projeto alterado precisa ser aprovado pela Caixa Econômica Federal, que é o agente financeiro. O que pedimos ao deputado foi para que ele articule, junto ao governo do Estado, para que seja emitida a ordem de início da obra. Com isso, essa alteração no projeto seja feita no decorrer da construção”, explica a vereadora Liziane Jardim.  Branco solicitou, ao novo chefe da Casa Civil, Cléber Benvegnú, que reúna os técnicos do governo, nos próximos dias, para discutir o tema. Também participaram da reunião, na Assembleia Legislativa, os prefeitos Gerhard Martens (Aceguá) e Renato Machado (Hulha Negra); o vereador de Aceguá, Edmundo Pichler, e a diretora executiva do Cideja, Débora Cáppua.

Agradecimento

Durante a reunião, Liziane também agradeceu Branco pela atuação dele nas articulações que encaminharam uma solução para o impasse da dívida que a Cooperativa Agrícola Pioneira Ltda (Capil) tem com o Badesul. A proposta consiste no pagamento de oito parcelas semestrais, que totalizam R$ 1,1 milhão, a serem repassadas entre fevereiro de 2019 e agosto de 2022. A renegociação depende da homologação do Funterra e do Badesul.
“Havia um temor, por parte da Capil, de que parte da área da cooperativa fosse a leilão. Essa renegociação deu fim a essa insegurança”, afirmou Liziane. 

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...