ANO: 24 | Nº: 5940
16/05/2018 Campo e Negócios

Arroz e carne bovina se destacam nas exportações do agronegócio em abril, diz Farsul

O agronegócio gaúcho exportou US$ 1,101 bilhão em abril. O valor representa 68% do total comercializado pelo Estado. Na comparação com o mesmo período do ano passado, houve um aumento de 11,8%. Apesar de expressiva queda nas vendas de frangos e suínos, a carne bovina retomou o crescimento. O arroz também é destaque, atingindo 171% no primeiro quadrimestre, com forte influência dos leilões PEP e Pepro. Os dados estão no Relatório do Comércio Exterior do Agronegócio do RS, divulgado ontem pela Farsul.

O embargo da União Europeia, segundo o levantamento, resultou em uma queda de -16,6% na exportação da carne de frango. Os suínos também acompanharam o movimento, com retração de -52,2%. O grupo carnes, com isso, registrou -23,4% no valor comercializado. O resultado não foi pior devido à recuperação da carne bovina, que teve aumento de 29,8%. Situação semelhante aconteceu com o grupo Complexo Soja.

O óleo de soja (-15%) e a soja em grãos (-0,3%) apresentaram retrações. Entretanto, o grupo teve crescimento de 10,6%, graças ao desempenho do farelo de soja que teve alta de 193%. O grupo Fumo e seus Produtos também teve bom resultado, com crescimento de 130%, assim como Produtos Florestais, com 47,5%.

O desempenho do arroz em abril, que teve aumento de 149%, não foi suficiente para reverter o cenário do grupo Cereais, que apresentou queda de -37,2%. Mas, no acumulado, as exportações orizícolas puxaram o resultado dos primeiros quatro meses do ano, juntamente com Complexo Soja (36,4%), Carne Bovina (40%), Fumo e seus Produtos (107%) e Produtos Florestais (6,2%), que garantiram aumento de 28,5% no quadrimestre, em comparação com o mesmo período de 2017.

Entre os meses de março e abril de 2018, houve um aumento de 7,1% no valor e 15% no volume exportado. A China se mantém como principal destino do agronegócio gaúcho, respondendo por 40% do valor exportado. Em segundo lugar aparece os Estados Unidos, com 4,5%, e, em terceiro, a Coréia do Sul, com 3%.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...