ANO: 24 | Nº: 6183
17/05/2018 Cidade

Clubes de Lions se unem para adquirir equipamento para a Apae

Foto: Tiago Rolim de Moura

Carmen, Ana Magali e Marques são responsáveis pela divulgação
Carmen, Ana Magali e Marques são responsáveis pela divulgação

Os clubes de Lions Bagé Centro, Dom Diogo, Bagé Santa Tecla, Solidariedade, Tradição e o Léo Clube de Bagé se uniram para realizar uma festa junina em prol da Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae). O evento acontece no dia 10 de junho, no Grêmio dos Subtenentes e Sargentos, na rua Arthur Lopes.
De acordo com a presidente de divisão do distrito L-3 do Lions, Ana Magali Sosa Kanaãn Marques, o evento visa angariar cerca de R$ 20 mil para a compra do equipamento denominado PediaSuit, que é utilizado para pessoas com lesões neurológicas. A tecnologia está disponível apenas em Porto Alegre e pode representar uma possibilidade de reabilitação, independência, autonomia, qualidade de vida e inclusão social para estes pacientes. “Cerca de 400 pessoas necessitam do uso deste aparelho em Bagé e região”, disse.
Conforme Ana Magali, os clubes realizaram o projeto, em conjunto, no ano passado, quando encaminharam para o Lions Clube Internacional e conseguiram R$ 79,437,00. A intenção dos Lions é adquirir três macacões e três gaiolas. No total, os equipamentos custam cerca de R$ 100 mil. A coordenadora ressalta que a Apae teria que entrar com o restante do valor do material, mas, como passa por dificuldades financeiras, os clubes de serviço resolveram encampar o projeto.
Segundo os integrantes da comissão de divulgação da Festa Junina, José Ariovaldo Leão Marques e Carmem Gonçalves, tudo está sendo realizado através de parcerias. “O clube dos Subtenentes e Sargentos cedeu a estrutura”, disse Carmem.

Uso do aparelho
O PediaSuit é uma vestimenta ortopédica, macia e dinâmica desenvolvida com base na descoberta de cientistas e especialistas em Medicina Espacial do Programa Espacial Russo. Eles desenvolveram o primeiro Suit, o Penguin Suit, com ação de carga, na tentativa de neutralizar os efeitos nocivos da ausência de gravidade e hipocinesia sobre o corpo: perda de densidade óssea, alteração da integração das respostas sensoriais, atrofia muscular, alteração da integração das respostas motoras, alterações cardiovasculares e desequilíbrios dos fluidos corporais. Como esses efeitos são muito semelhantes em pessoas com lesões neurológicas, os estudiosos da reabilitação o aperfeiçoaram, trazendo sua aplicação para a área da neurologia.
O protocolo de tratamento intensivo, usado por fisioterapeutas e terapeutas ocupacionais, tem como objetivo principal a recuperação cinética funcional em decorrência dos distúrbios que afetam o movimento, a dinâmica circulatória e a integridade músculo-esquelética, principalmente.
Um princípio básico do PediaSuit é criar um suporte para que o corpo seja alinhado o mais próximo do funcional possível, gerando, também, uma descarga de peso que é essencial para a regulação do tônus muscular e para a função vestibular e sensorial. Essa descarga é gerada pelo ajuste das tiras elásticas, que podem variar de 15 quilos a 40 quilos.
A utilização do macacão associado à fisioterapia intensiva (terapia intensiva) tem tido muitos resultados positivos, sendo benéfico para crianças com diversos tipos de diagnósticos, como paralisia cerebral, atraso do desenvolvimento motor, Síndrome de Down, deficiências ortopédicas e neurológicas, hipotonia, autismo e acidente vascular encefálico.

Benefícios da utilização do macacão associado à fisioterapia intensiva
– Melhora do alinhamento corporal;
– Melhora da densidade óssea;
– Melhora do tônus muscular;
– Diminuição das contrações;
– Auxílio na correção do padrão de marcha;
– Melhora no equilíbrio;
– Melhora na coordenação;
– Melhora na consciência corporal.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...