ANO: 25 | Nº: 6353
18/05/2018 Cidade

Simers realiza reunião junto à promotoria

Foto: Divulgação

Assembleia contou com pouca adesão
Assembleia contou com pouca adesão
O Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers) realizou uma reunião com o promotor público Marcos Saralegui, ontem, para tratar sobre a preocupação da entidade com o número de ginecologistas e obstetras que atendem no Bloco Obstétrico da Santa Casa de Caridade de Bagé. Desde a última semana, o Simers está tratando do tema após receber informações de que alguns médicos deixaram de prestar serviços à instituição de saúde. Não foi permitida a entrada da imprensa durante a reunião.

Logo após, o Simers realizou uma assembleia geral extraordinária. Inicialmente, o evento seria em frente ao bloco obstétrico, mas foi transferido para outro local. Na ocasião, os representantes do sindicato salientaram que a Santa Casa já havia encaminhado, ao Ministério Público, um documento informando o número de profissionais e que a instituição já resolveu a situação.

Segundo o entendimento do sindicato, são necessários, pelo menos, sete profissionais para realizarem os plantões de 24h, sete dias por semana e com o desligamento, haviam permanecido apenas três.

Na terça-feira, o provedor Santa Casa, Airton Lacerda, já havia afirmado que a situação do quadro funcional já estava resolvido e que a situação com os médicos se deu porque alguns profissionais haviam pedido o desligamento e outros foram demitidos por não se adequarem às exigências da função.

A Santa Casa de Bagé é referência, em partos de alto risco, para os municípios de Candiota, Hulha Negra, Dom Pedrito, Caçapava do Sul, Aceguá e Lavras do Sul, que compõem a 7ª Coordenadoria Regional de Saúde. Em média, o hospital realiza cerca de 150 partos por mês. O serviço está sendo mantido por seis plantonistas.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...