ANO: 25 | Nº: 6335
19/05/2018 Cidade

Moradores avaliam sétima edição do projeto Meu Bairro Melhor

Foto: Tiago Rolim de Moura

Atividades serão finalizadas no domingo
Atividades serão finalizadas no domingo
Após passar por um hiato desde novembro do ano passado, o projeto Meu Bairro Melhor voltou a ser realizado pela Prefeitura de Bagé. A iniciativa, que teve início em abril de 2017, está em sua sétima edição, contemplando, neste momento, o Prado Velho e arredores. Neste domingo, as atividades serão encerradas com uma mateada e apresentações musicais na avenida Leonel Brizola, em frente ao ginásio Mosquitão.
A iniciativa conta com serviços de patrolamento, limpeza urbana, colocação de bueiros, limpeza de valas, manutenção das paradas de ônibus, troca e colocação de placas de trânsito e podas de árvores.
No Prado Velho, entre as ações em destaque, está a pavimentação da rua Breno José Coronel Machado, onde será feito um trecho de 800 metros de asfalto que dará acesso às 564 moradias que estão sendo construídas no bairro. Além disso, também estão sendo desenvolvidas obras de prevenção e combate a alagamentos e cerca de 400 metros de bueiro devem ser instalados.
Segundo o morador Fernando Ávila, 28 anos, o projeto está atendendo uma das maiores demandas de sua rua, que é a colocação de bueiros. Ele revela que os residentes da região enfrentam enchentes e esgoto a céu aberto há cerca de seis anos. “Além de ser ruim para a saúde e atrair mosquitos, os moradores tinham que aguentar o cheiro do esgoto. Agora, com esse projeto, acho que as coisas vão melhorar”, declara.   
Na avaliação da cabeleireira Lira Gularte Leite, 57 anos, mesmo que não resolva todas as demandas da região, o projeto está contribuindo para melhorar a aparência do local. Residindo na rua Miguel Centena, há cerca de seis anos, Lira conta que, mesmo com as intervenções da prefeitura, as melhorias serão temporárias sem a contribuição da comunidade. “Tem um terreno aberto na frente da minha casa que o pessoal não respeita, ficam colocando lixo porque aquilo é um espaço aberto”, declara.
A cabeleireira acredita que as mudanças devem ser iniciadas pelo poder público, através de atividades de conscientização. “Começa pela prefeitura e Câmara de Vereadores. Eles deveriam buscar recursos para conscientizar as pessoas sobre isso. Tem que haver uma responsabilidade das autoridades”, destaca.
Para Sérgio Leandro de Oliveira, 21 anos, que desde a infância mora na avenida Leonel Brizola, o projeto é uma ótima iniciativa, mas necessita da contribuição a comunidade local. “Não adianta apenas a prefeitura ir lá e fazer e o próprio pessoal dos bairros não ajudar”, declara. Ele também afirma que há necessidade de uma maior fiscalização na região. “A segurança poderia melhorar um pouco mais, pois têm acontecido muitos roubos aqui, acho que poderiam melhorar isso”, revela.
Conforme o coordenador do projeto, Alexandre Camargo, esse mutirão é um trabalho em conjunto de todas as secretarias e pretende auxiliar na resolução de problemas específicos dos bairros. “A gente sabe que é impossível resolver todos os problemas do bairro em uma semana, mas o trabalho que propomos à comunidade é de disponibilizar os serviços da prefeitura neste período”, destaca.
Desde abril de 2017, além do Padro Velho, o projeto já contemplou os bairros Castro Alves, Passo das Pedras, Ivo Ferronato, Stand, Arvorezinha e  São Bernardo.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...