ANO: 25 | Nº: 6382
19/05/2018 Cidade

Motoristas ficam mais de 10 horas em fila para garantir gasolina sem imposto

Foto: Tiago Rolim de Moura

Daniel Santos de Oliveira, 46 anos
Daniel Santos de Oliveira, 46 anos

A terceira edição do evento Correndo do Imposto, ocorrido ontem e organizado pela Associação de Jovens Empreendedores de Bagé (AJE), em parceria com os postos Balluarte do Jardim do Castelo, garantiu mil litros de gasolina com cerca de 50% de desconto. Desde às 21h de quinta-feira, já havia fila de espera no decorrer da avenida José do Patrocínio. A iniciativa é uma forma de protestar contra a alta carga tributária, que incide em produtos e serviços no Brasil. Além de Bagé, 100 municípios País realizaram atividades similares.

Conforme o gerente do posto, Aristides Soares Godinho, já às 6h30min havia cerca de 70 carros aguardando as fichas. Ele contou que a equipe do Balluarte distribuiu pipoca e café para os clientes, que poderiam abastecer até 10 litros do combustível sem taxação. “Foram distribuídas 100 fichas, por ordem de chegada”, disse. O litro da gasolina, que custa R$ 4,988 com imposto, foi comercializado a R$ 2,499.

Segundo a presidente do AJE, Helena Assunção, a empresa a Tterrasul também foi parceira da iniciativa. No local, um guindaste ergueu um veículo Gol Trend Line, mostrando o valor comparativo com e sem imposto. O preço com o tributo chega a R$ 41.340 e sem poderia ser comercializado a R$ 28.690.

Distribuição das fichas

As fichas foram distribuídas a partir das 7h e o atendimento iniciou às 8h. O pagamento foi realizado à vista, em dinheiro. O motorista Daniel Santos de Oliveira, 46 anos, chegou no local às 3h15 e conseguiu a ficha 25. “É um absurdo o que se paga de imposto. O maior problema é que não temos retorno em serviço. Vale a pena esperar”, disse.

O aposentado Mário Oliveira Camargo, 61 anos, entrou na fila às 4h15 e foi atendido por volta das 8h30. Segundo ele, mesmo sendo poucos litros por pessoa, valia a pena o desconto de 50%. “Sempre ajuda no orçamento”, ressalta.

O trabalhador rural, Eberton Lucas, 22 anos, foi preparado para enfrentar o frio da madrugada. Ele e a família levaram alimentos e cobertores e permaneceram mais de quatro horas esperando o atendimento. Lucas garantiu a ficha 30.

A dona de casa Ilza da Silva Freitas, 54 anos, também chegou na fila por volta das 4h. Ela conta que foi com o irmão para não ficar sozinha durante a madrugada. “Tinha que garantir o combustível, já que é difícil esse tipo de ação. Quando cheguei já havia muito movimento na via”, enfatiza.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...