ANO: 24 | Nº: 8084
26/05/2018 Fogo cruzado

Presidente da República autoriza uso de forças federais para desbloquear rodovias

Foto: Divulgação

Temer fez pronunciamento na tarde de sexta-feira
Temer fez pronunciamento na tarde de sexta-feira
O governo federal autorizou, na sexta-feira, o uso de forças federais de segurança para liberar as rodovias bloqueadas pelos caminhoneiros. O anúncio foi feito pelo presidente da República, Michel Temer, do MDB, em pronunciamento no Palácio do Planalto. A decisão foi tomada após reunião com ministros, no Gabinete de Segurança Institucional. "Quero anunciar um plano de segurança imediato para acionar as forças federais de segurança para desbloquear as estradas e estou solicitando aos governadores que façam o mesmo. Não vamos permitir que a população fique sem os gêneros de primeira necessidade, que os hospitais fiquem sem insumos para salvar vidas e crianças fiquem sem escolas. Quem bloqueia estradas de maneira radical será responsabilizado. O governo tem, como tem sempre, a coragem de dialogar; agora terá coragem de usar sua autoridade em defesa do povo brasileiro", disse.
Na quinta-feira, os ministros Eliseu Padilha, da Casa Civil, Eduardo Guardia, da Fazenda, e Carlos Marun, da Secretaria de Governo, chegaram a anunciar acordo para suspensão dos protestos da categoria por 15 dias. Na sexta-feira, 25, entretanto, a Polícia Rodoviária Federal (PRF) informou que ainda não havia registrado desmobilização de pontos de manifestação de caminhoneiros nas rodovias do País. Temer disse, durante pronunciamento em rede nacional, que uma "minoria radical" está impedindo que muitos caminhoneiros cumpram o acordo e voltem a transportar mercadorias. Ele afirmou  que o governo atendeu às principais demandas da categoria. "O acordo está assinado e cumpri-lo é naturalmente a melhor alternativa. O governo espera e confia que cada caminhoneiro cumpra seu papel."


Mediação
Por meio de nota, as centrais sindicais se colocaram à disposição, como mediadoras, na busca de um acordo. “A proposta do governo, de convocar as Forças Armadas, como instrumento de repressão, é querer apagar fogo com gasolina, ou seja: só vai acirrar o conflito e dificultar uma solução equilibrada. Queremos um acordo que leve em consideração a justa reivindicação dos trabalhadores e as necessidades do País”, pontua a representação.


Ação no STF
Temer também ingressou com uma arguição de descumprimento de preceito fundamental (ADPF), com pedido de liminar (decisão provisória), no Supremo Tribunal Federal (STF), visando obter uma decisão única, que permita o desbloqueio das rodovias do País. O relator sorteado para analisar o pedido foi o ministro Alexandre de Moraes. Até o fechamento desta edição, ele ainda não havia proferido decisão.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...