ANO: 25 | Nº: 6261
07/06/2018 Segurança

Morre o advogado e tradicionalista Diogo Madruga Duarte

Foto: Arquivo JM

Diogo Madruga Duarte, 83 anos
Diogo Madruga Duarte, 83 anos
O advogado Diogo Madruga Duarte, 83 anos, morreu no início da tarde de ontem. Conhecido por ser um dos idealizadores da Descida do Camaquã, Duarte estava internado na Santa Casa de Caridade de Bagé.
Diversas vezes homenageado pela Associação e Sindicato Rural de Bagé, Duarte possuía um amplo histórico de serviços prestados ao tradicionalismo. Ele sempre dizia que tinha prazer em realizar o cultivo da tradição gaúcha, independente de homenagens.
O tradicionalista participou da direção do CTG 93, atuou como patrono do CTG 35, em Porto alegre, foi conselheiro do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG) e fez parte da diretoria do CTG Clube Farroupilha, de Ijuí, e do CTG José Bonifácio Gomes, da cidade de Cachoeira do Sul. Em 1993 foi um dos articuladores locais do plebiscito convocado para definir a forma de governo, defendendo a monarquia.
O advogado atuou na fundação das "quarteadas sociais", projeto social que teve a primeira intervenção em 1981, na Estância Santa Delfina, na localidade da Bolena, no interior de Bagé, levando, inicialmente, atendimento médico e odontológico à população rural. Foram levados profissionais da saúde, como médicos e enfermeiros, profissionais da área jurídica e até da Polícia Civil. Com as quarteadas, as pessoas podiam fazer o título eleitoral e carteira de identidade, além de ter consultas médicas.
Duarte, que era natural de Pinheiro Machado, foi velado na Capela Santo Antônio, no Cemitério da Santa Casa de Caridade de Bagé. Hoje seu corpo será cremado na cidade de Pelotas. Ele deixa a esposa Vera Regina Duarte e os filhos Rodrigo, Lúcia e Marta.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...