ANO: 24 | Nº: 6108
09/06/2018 Campo e Negócios

Federação da Agricultura Familiar busca apoio do governo

Com o objetivo de minimizar as perdas no campo devido à greve dos caminhoneiros, na sexta-feira, 8 de junho, uma comitiva da Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar do Rio Grande do Sul (Fetraf) esteve em uma audiência na Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR).

Recebidos pelo titular da pasta, Tarcísio Minetto, e por algumas lideranças da secretaria, os representantes da Fetraf entregaram uma pauta de reivindicações ao governo. Conforme o coordenador geral da Federação, Rui Alberto Valença, a greve dos caminhoneiros causou inúmeras perdas para os produtores de leite, suínos, aves e de hortaliças. “Nossa estimativa é que foram mais de R$ 50 milhões de prejuízos somente com o leite, fora as outras cadeias que tiveram hortaliças estragando, perda de peso e de animais, sem que os alimentos fossem entregues ao seu destino. Nós entendemos que o Estado é também responsável e por isso solicitamos três ações emergenciais para que o agricultor familiar não pague sozinho a conta dos prejuízos causados pela greve”, afirmou ele.

A Fetraf solicitou anistia do pagamento de sementes obtidas por meio do programa Troca-troca, além da destinação de crédito alimentar de R$ 10 mil às famílias agricultoras familiares e escolta para entrega de insumos, produtos e medicamentos nas propriedades.

Segundo Minetto, o governo do Estado vai analisar as possibilidades de atender as demandas. Até o final do mês, a Federação também participará de uma audiência em Brasília, na Secretaria Especial da Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário, para tratar da mesma problemática.

Repasse

No encontro, o coordenador geral do Sindicato Unificado dos Trabalhadores na Agricultura Familiar do Alto Uruguai (Sutraf), Douglas Cenci, assinou um contrato com a SDR para repasse de recursos para aquisição de sementes e forrageiras de inverno.

“O agricultor tem o seu custo de produção elevado devido ao preço dos insumos, principalmente do milho e da soja, então ao assinar com programa de Troca-troca de Sementes significa estimular que a agricultura familiar plante mais pasto, tenha mais produção reduzindo custos. Na próxima semana, serão assinados vários contratos dos sindicatos ligados a Fetraf e o nosso agricultor terá à disposição uma semente de qualidade, com um preço acessível para poder organizar a sua propriedade”, destacou. 

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...