ANO: 25 | Nº: 6235
09/06/2018 Esportes

Líder do grupo, Guarany enfrenta Farroupilha fora de casa

Foto: Tiago Rolim de Moura

Jogo de ida teve vitória do Guarany por 2 a 1
Jogo de ida teve vitória do Guarany por 2 a 1
O alvirrubro viaja para jogar contra o Farroupilha neste sábado. Os times enfrentam-se às 15h, no Estádio Nicolau Fico. O time da Rainha da Fronteira é o líder isolado do Grupo B, com 17 pontos. A equipe de Pelotas ocupa a segunda colocação, com 13. Os dois times têm sete jogos até agora.

Mesmo se perder, o alvirrubro ainda continua na liderança. Uma vitória, por outro lado, garante, definitivamente, a vaga nas quartas de final. Este será o penúltimo desafio do Índio. No dia 16, o time viaja para jogar contra o Novo Horizonte e, a última rodada será em casa, contra o Real.

Ainda dentro da zona de classificação, estão o Real e o Rio Grande, com nove e seis pontos, respectivamente. O Nova Prata ainda não venceu na competição e soma apenas dois pontos, figurando na lanterna. O Novo Horizonte tem quatro pontos – uma vitória e um empate. Os times que terminarem a Terceira Divisão em primeiro e segundo lugar garantem uma vaga na Divisão de Acesso em 2019.

Julgamento no TJD

Na tarde de quinta-feira, o Guarany foi julgado no Tribunal de Justiça Desportiva do Rio Grande do Sul (TJD-RS). O clube havia sido denunciado, pela Procuradoria do Tribunal de Justiça Desportiva, em função da partida agendada contra o Farroupilha, no dia 9 de maio.

A disputa seria o primeiro jogo do Guarany no Estádio Antônio Magalhães Rossel, mas foi suspenso por falta de iluminação. O time foi julgado pelo artigo 203 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), por "deixar de disputar, sem justa causa, partida, prova ou o equivalente na respectiva modalidade, ou dar causa à sua não realização ou à sua suspensão". A pena é multa de R$ 100 a R$ 100 mil, além de perda dos pontos em disputa a favor do adversário.

O Departamento Jurídico do clube, formado pelos advogados Diego Segredo Blanco e Pedro Moura, basearam a defesa do caso pelo fato ter sido imprevisível, eximindo o clube da responsabilidade. A sustentação no TJD foi realizada pelo advogado bajeense, residente em Porto Alegre, Rodrigo de Medeiros Lopes. O Tribunal concluiu que não era caso de perda de pontos, mas puniu o clube com multa de R$ 300.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...