ANO: 24 | Nº: 6011

Divaldo Lara

divaldolara@gmail.com
Prefeito de Bagé
11/06/2018 Divaldo Lara (Opinião)

A gente quer inteiro e não pela metade

Em uma semana marcada por importantes realizações para nossa cidade e regada à arte da dança, inicio parafraseando um trecho de uma conhecida música dos Titãs.
A frase título desta coluna expressa não apenas um desejo, mas o esforço e o trabalho para que ele se realize.  Há um ano e seis meses, quando assumimos o governo, iniciamos junto a ele, um processo de recuperação do que nos foi deixado pela metade e que nesta semana ganhou mais alguns passos na direção do progresso e da vida digna – e inteira - que nossa cidade merece.
Quem não lembra das máquinas sucateadas expostas na frente do Centro Administrativo, logo que assumimos, para mostrar à população, o que estávamos recebendo e com o que teríamos que trabalhar durante algum tempo, até nos readequarmos? Quem não lembra também da situação da saúde, com fila de mais de quatro mil exames e tantas outras precariedades?
Pois bem, na sexta feira estivemos na capital dos gaúchos para receber seis novos equipamentos, fruto das nossas visitas à Brasília e da demonstração aos deputados sobre nossa vontade em reerguer Bagé.  Através de emendas parlamentares dos deputados Danrlei, José Fogaça, João Derly, José Stédile, Luís Carlos Heinz, Afonso Hamm e a senadora Ana Amélia Lemos estão vindo para Bagé, quatro retroescavadeiras e dois rolos novos. O maquinário será utilizado pela nossa Secretaria de Desenvolvimento Rural, agilizando o cuidado com nossas estradas e questões do interior do município. Até então nos faltavam máquinas,  pois força de trabalho nossa aguerrida equipe sempre teve e, mesmo com as dificuldades, conseguia levar adiante o trabalho.
Com isso, a zona urbana também se beneficia, pois equipamentos que vinham sendo utilizados em comum acordo para as duas finalidades, voltarão à utilização da Seinfra, que cuida das nossas ruas.
A segunda conquista, inaugurada na quinta feira, também em Porto Alegre, é focada em um importante complemento para a saúde dos bageenses. Pensando no conjunto de complexidades que envolve um tratamento fora do município, inauguramos na capital,  a primeira casa de hospedagem, inaugurada por uma prefeitura, para pacientes que necessitam pernoitar ou prolongar sua permanência. Para muitas pessoas, Porto Alegre é um lugar ainda desconhecido, mas necessário nestes casos, pois é para lá que a maioria dos tratamentos especializados são encaminhados e para onde viaja a grande maioria dos três mil pacientes mensais.
É importante lembrar que um local acolhedor também pode causar efeito benéfico durante a recuperação do paciente, por se sentirem acolhidos pelos profissionais da casa e também com a troca de experiências com outras pessoas no mesmo local.  O mesmo vale para os acompanhantes e também para os motoristas que transportam os bageenses até lá e que agora, passam a contar com um local para descanso, banho, e o devido repouso. O termo “casa” não foi utilizado por acaso, pois é assim que queremos que os bajeenses se sintam, protegidos do desconhecido de uma cidade grande e que essa preocupação a menos, traga efeitos positivos no tratamento.
Há anos, morei em uma casa com essa finalidade em Porto Alegre. Mantida com recursos próprios, pelo meu irmão, o deputado Luís Augusto Lara e que por muitos anos, serviu a tantas pessoas. Nesse período, busquei, pessoalmente, pessoas em bancos de rodoviária, em saguão de hospitais e até mesmo da rua para se abrigarem na casa. Lembro que, na época, o local contou com ajuda de amigos próximos que entendiam a importância do que estava sendo feito.
Desta vez, com a inauguração da nova casa, não foi diferente. Voluntários da Associação da Mulher Gaúcha, em um movimento liderado pela vereadora Sonia Leite, confeccionou 44 conjunto de lençóis, mantas, além de doar uma máquina de lavar, pratos e talheres para a casa.
O proprietário do imóvel que alugaríamos, ao saber a finalidade para a qual o local seria utilizado, perdoou o custo do aluguel por dois anos, em regime de comodato com o município. É a prova de que boas ações concretas, geram comoção e unem a sociedade em torno de objetivos.
Não poderia faltar a comemoração. E Bagé, no mesmo dia que realizávamos essas conquistas, em Porto Alegre, iniciava o maior festival de dança do Estado, o Dança Bagé. Um festival que, pelo segundo ano consecutivo, é autossustentável e que, neste ano, além das apresentações e concursos tradicionais, levou intervenções artísticas a entidades como a Vila Vicentina e o Caminho da Luz. O belíssimo show da Cia Focus de Dança, do Rio de Janeiro, trouxe, através das performances, músicas do rei Roberto Carlos e que nos fizeram lembrar, mais uma vez, “como é grande o nosso amor” pela nossa cidade.

Deixe seu comentário abaixo

Em tempo real

Outras edições

Carregando...