ANO: 24 | Nº: 6084
12/06/2018 Editorial

Um reduto russo

Há certos aspectos de eventos de caráter mundial que despertam a busca por detalhes até certo modo não tão visíveis dentro de determinadas sociedades, independentemente de suas proporções. No caso da Copa do Mundo, que inicia nos próximos dias, ela desperta, muito além da fixação tradicional dos aficionados por futebol, a busca por informações mais detalhadas do País-sede: desta vez, a Rússia.

É sabido, para qualquer um que frequentou as aulas de Geografia, ainda no primário, que trata-se de uma nação de proporções territoriais incomparáveis. Mesmo após anos de desmembramentos pontuais, o País se mantém como o que mais ocupa espaço no globo, mesmo aquele guardado no escritório. Mas, claro, o interesse, normalmente, é ir além de tais informações.

No caso do Jornal MINUANO, conforme publicação especial publicada nesta edição, a busca foi por revelar um reduto quase escondido da Rússia em meio à Campanha gaúcha. Na Colônia Nova, conhecida localidade de Aceguá, está, como muitos desconhecem, um grupo de descendentes dos chamados menonitas, cristãos oriundos do movimento anabadista, ainda durante a Reforma Protestante desencadeada na Europa. Eles são integrantes de um trecho histórico no qual imigrantes encontraram, neste chão, o seu destino na triste fuga da perseguição religiosa.

Aos que desconhecem tal fato, fica o convite de desbravar esta história, através da reportagem escrita pela jornalista Melissa Louçan e, ainda, claro, visitar o museu erguido junto à Colônia Nova, que preserva não apenas itens sobre a imigração, mas sobre a própria colonização russa em solo gaúcho.

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...