ANO: 25 | Nº: 6260
14/06/2018 Cidade

Aprovada construção de prédio da radioterapia em Bagé

Foto: Tiago Rolim de Moura

Prédio deve ser erguido ao lado da Unacon
Prédio deve ser erguido ao lado da Unacon

O provedor da Santa Casa de Caridade de Bagé, Airton Lacerda, confirmou, ontem, a liberação, para o início da construção do prédio destinado à radioterapia, pela Comissão Nacional de Energia Nuclear (Cnem), órgão ligado ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. O documento tem validade até 28 de maio de 2023. A estrutura a ser erguida deve abrigar um dos cinco aceleradores lineares, pertencentes ao Plano de Expansão da Radioterapia do governo federal.
Ao MINUANO, o provedor disse não saber, ainda, a possível data para o início da obra. Conforme Lacerda, o convênio irá prorrogar a vida de muitas pessoas que têm a necessidade de receber o tratamento de radioterapia. Ele salienta que a estimativa do Ministério da Saúde é que o equipamento abranja até 500 mil pessoas em toda a região e até do Uruguai.
As instalações que irão abrigar a radioterapia exigem espaço físico com características peculiares e distintas das construções tradicionais de estabelecimentos e unidades de saúde, uma vez que envolve, por exemplo, sistemas de climatização, refrigeração da água, sistema elétrico diferenciado e maior espessura das paredes. O expedido pelo Cnem também enfatiza que a construção do prédio deve ser realizada pela Santa Casa e a instalação do acelerador linear deve cumprir as exigências por ser equipamento de altíssima complexidade tecnológica e, por isso, deve ser instalado com os devidos cuidados com a proteção radiológica.

Articulação
Desde que foi inaugurada a Unidade de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon), em dezembro de 2010, a expectativa gira em torno da disponibilização do novo serviço. A articulação iniciou em 2012, quando o município assinou o termo de adesão para o Plano de Expansão da Radioterapia pelo Sistema Único de Saúde (SUS).
A estrutura deve ser construída ao lado do prédio atual da oncologia, onde hoje há um terreno baldio. A área exigida pelo Ministério da Saúde é de 1.170 metros quadrados. Servidores do Ministério já realizaram várias visitas no local e dois técnicos em radiologia do hospital realizaram uma qualificação.
A obra, coordenada pelo Ministério da Saúde, vai abrigar serviço de radioterapia na modalidade teleterapia. O aparelho trabalha com fótons e elétrons que permitem tratar doenças profundas (em órgãos como pulmão e esôfago) e também superficiais, na pele e tecidos subcutâneos.

Deixe seu comentário abaixo

Em tempo real

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...