ANO: 25 | Nº: 6312
16/06/2018 Cidade

Cresce o número de carroceiros cadastrados em um ano

Foto: Tiago Rolim de Moura

Equipamentos que não tiverem placas reflexivas estão ilegais
Equipamentos que não tiverem placas reflexivas estão ilegais
Desde a retomada do recadastramento dos carroceiros em Bagé, pela Secretaria Municipal de Segurança e Mobilidade Urbana (SSM), há cerca de um ano, houve o acréscimo de quase 100 cadastros. O objetivo da ação era atualizar a listagem criada, em 2010, por meio da legislação municipal que dispõe sobre o controle de transportes com tração animal e animais de grande porte (equinos e bovinos) soltos em vias urbanas. De acordo com a lei, as carroças somente podem circular devidamente emplacadas.

De acordo com o titular da pasta, Luiz Diego Soares, quando foi retomado o recadastramento havia 199 carroceiros; hoje são cerca de 290. Ele informa que nos casos de abordagens realizadas por fiscais da secretária em que tanto carroça quanto o animal não estejam regularizados, ambos estão sujeitos a recolhimento até que as determinações estejam legalizadas. Cada cadastro têm validade de um ano .

Conforme a assessora de gabinete da SSM, Mathiele Moraes, o registro, licenciamento e emplacamento é gratuito, porém a colocação do microchip no animal e as faixas reflexivas são por conta do proprietário. "Se não tiver a faixa, fica irregular e não recebe o cartão de identificação", frisa.

Mathiele enfatiza que a maioria dos cadastrados utiliza a carroça para a realização de fretes e, após o cadastramento, é agendado uma vistoria que é realizada por veterinários da coordenadoria de bem-estar animal. Os documentos necessários para o cadastro são carteira de identidade, CPF e comprovante de residência do proprietário.

Deixe seu comentário abaixo

Em tempo real

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...