ANO: 26 | Nº: 6590
21/06/2018 Cidade

Empresa paulista irá construir linha de transmissão entre Bagé e Candiota

Foto: Arquivo JM

Estrutura vai ligar subestação Bagé 2 ao complexo termelétrico da Capital do Carvão
Estrutura vai ligar subestação Bagé 2 ao complexo termelétrico da Capital do Carvão

Uma reunião entre o secretário do Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação, Bayard Paschoa Pereira, e o gerente administrativo da empresa Incomisa – Indústria de Construção e Montagens Ingelec S/A, João Marcos Neves, definiu a área para a instalação da empresa em Bagé. A Incomisa irá executar obra de expansão de Linha de Transmissão de energia, contratada pelo grupo indiano Sterlite Power Grid Ventures, que ganhou a concorrência pública realizada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para interligar o complexo termelétrico de Candiota a Bagé.
A linha de transmissão local integra um lote comercializado por R$ 34,5 milhões. A entrada em operação comercial está prevista para agosto de 2022. A nova estrutura, que faz parte do planejamento do Ministério de Minas e Energia, é considerada estratégica para a região. A obra pretende evitar cortes de carga por subtensão, especialmente nos períodos entre novembro e março, e em situações de despacho reduzido nas centrais eólicas da Eletrosul, integradas à subestação de Cerro Chato, em Santana do Livramento.
Segundo dados divulgados pela Aneel, a obra tem prazo de execução de 60 meses e prevê a construção de rede de transmissão de 49 quilômetros entre Candiota e Bagé. O projeto compreende as linhas de transmissão de Garibaldi a Lajeado, com 47 quilômetros, outra linha entre duas subestações de Lajeado, com 16,4 quilômetros, além das subestações Vinhedos e Lajeado 3 e do trecho de linha entre a subestação Vinhedos e o seccionamento da linha de transmissão Monte Claro - Garibaldi, com dois quilômetros.

Incomisa
A Incomisa faz parte do Grupo Ingelec (TIG), um conglomerado internacional com base nos EUA. A TIG conta com mais de 30 anos de experiência na participação em projetos de infraestrutura elétrica. O grupo iniciou suas atividades na Bolívia, na década de 80, e expandiu-se para o Chile, em 2005, e para o Brasil, em 2006, com a criação das filiais de Chile e Brasil, continuando sua expansão na Argentina e, posteriormente, na Angola. Sua sede no Brasil está situada no município paulista de Pindamonhangaba.
No encontro entre o secretário da pasta e o gerente da empresa, ficou definido que a instalação em Bagé será ao longo da BR-293, aproximadamente a três quilômetros do trevo da Santa Tecla, no sentido de Candiota, e ocupará área física de 3,5 hectares. As possíveis áreas para instalação do canteiro de obras da empresa já estão selecionadas.

A obra
Serão fixadas aproximadamente 150 torres de aço galvanizado com cerca de 60 a 70 metros de altura, partindo da subestação da Companhia Estadual de Energia Eletrica (CEEE), localizada no principal acesso da cidade. A obra levará em média de 1,5 a dois anos para ser concluída e irá envolver mais de 350 pessoas.
Para Bayard, a instalação de mais uma empresa no município significa que Bagé vive um novo momento. "Estamos na rota dos investimentos, o que representa geração de novos empregos e renda, além de contribuir para o crescimento da economia com o incremento do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), aportando novos recursos à cidade", disse.

Projeto Crescer
A obra que vai interligar o complexo de Candiota a Bagé foi ofertada, inicialmente, em 2013, mas não avançou. No ano passado, a linha de transmissão entrou no cronograma de obras do Projeto Crescer, lançado pelo governo federal, quando foi arrematado pela empresa indiana.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...