ANO: 24 | Nº: 8084

Divaldo Lara

divaldolara@gmail.com
Prefeito de Bagé
25/06/2018 Divaldo Lara (Opinião)

O caminho da solidariedade

Na sexta-feira, iniciamos a segunda temporada de lives pelo Facebook, agora denominadas Encontro Marcado. Nosso convidado especial foi o bispo Dom Gílio Felício e o tema não poderia ser outro, senão a solidariedade. A igreja vive o ano do laicato, que faz o chamamento às pessoas para ajudar a comunidade dessa forma.
Acho importante quando as entidades e instituições promovem esse tipo de ação, pois orientam as pessoas a estarem atentas e ensinar aos filhos, sobre atos de bondade, algo que têm vontade de praticar e, muitas vezes, não sabem como.
Um dos grandes exemplos recentes da solidariedade dos bajeenses foi a realização do dia D da nossa Campanha do Agasalho que, somente no sábado passado, arrecadou mais de 10 mil peças, totalizando na campanha, 16 mil, até agora. É incrível como uma campanha indica o caminho e organiza as pessoas na promoção do bem. As alunas de corte e costura do projeto Economia Solidária do Km 21 produziram colchas com as roupas de verão, doadas no ano passado; o grupo de hipertensos, lúpus e diabéticos também realizaram ações desse tipo e continuam a arrecadar peças de agasalho.
Aliás, falando no projeto Economia Solidária, este, que estava desativado e praticamente perdido quando assumimos, hoje possibilita a pessoas de baixa renda, aprender um ofício dentre as seis oficinas, oferecendo oportunidades no mercado de trabalho. E quem já passou por dificuldades e um dia é ajudado, se une a essa corrente, pois conhece de perto, o que é passar necessidades.
Outra ação organizada pelo nosso governo, que também uniu pessoas em torno da solidariedade, foi a abertura recente da casa para abrigar pacientes, acompanhantes e motoristas bajeenses em Porto Alegre. O local contou com a solidariedade da Associação da Mulher Gaúcha, que produziu colchas, travesseiros, mantas e ainda se uniram em torno da doação de uma máquina de lavar, de talheres e pratos.
Outro exemplo que me causou grata surpresa foi quando, o proprietário do imóvel que alugamos em Porto Alegre, ao saber a finalidade da casa, dispensou o pagamento do aluguel por um ano, podendo ser renovado para mais um.
O local tem capacidade para abrigar cerca de 1,2 mil pessoas por mês e beneficiará diretamente a tantos bajeenses que não tinham onde ficar, nenhuma referência na capital, em um momento de grande necessidade, o de cuidar da saúde.
Recentemente, estivemos em Brasília solicitando auxílio para os bajeenses, que vivem o período de seca e fomos contemplados com o maior número de cestas básicas da região, totalizando 81 toneladas e que estão beneficiando três mil famílias. As entregas estão sendo realizadas pela nossa Defesa Civil e pela Secretaria Municipal de Assistência Social, Habitação e Direitos do Idoso (Smasi).
Moradias para os que mais precisam também foram conquistadas pelo nosso governo, no ano passado, e 1164 famílias serão contempladas, até o final de 2019, realizando o sonho da casa própria. Para vocês terem uma ideia de comparação, o município de Hulha Negra soma um total de 1,2 mil moradias no total, ou seja, estamos praticamente construindo um município inteiro dentro de Bagé para beneficiar as pessoas de menor renda.
Ainda ontem, assisti a um vídeo e compartilhei nas minhas redes sociais sobre uma menina, colocada no mesmo lugar com vestimentas diferentes e que, por isso, recebia tratamento diferenciado, para o bem e para o mal. É um relato triste da realidade que o mundo vive e os de bom coração precisam se unir com exemplos para mostrar que não precisamos viver a ferro e fogo. Às vezes, para comover e difundir o caminho correto, só é preciso mostrar um bom exemplo.
Todos, em algum momento, precisam de atenção, carinho e de uma mão estendida. Tenho me orgulhado dos nossos bajeenses neste quesito, com as várias ações espontâneas de ajuda ao próximo.
É hora de continuarmos unidos, cidadãos, entidades, instituições e o governo, para melhorar a vida dos nossos irmãos e da nossa cidade. Esse é o caminho para nosso desenvolvimento comunitário e também pessoal, pois fazer o bem, também nos traz uma sensações de paz e de tranquilidade incríveis.

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...