ANO: 25 | Nº: 6209
27/06/2018 Cidade

Urcamp e Cine 7 promovem exibição de documentário sobre a vida do jornalista Tarso de Castro

Foto: Divulgação

Produção será exibida em sessão especial no dia 2 de julho
Produção será exibida em sessão especial no dia 2 de julho

A história de um dos mais importantes e polêmicos jornalistas do Brasil é explanada no longa-metragem "A Vida Extra-Ordinária de Tarso de Castro", previsto para ser exibido em Bagé, na segunda-feira, 2 de julho, às 20h, em sessão especial no Cine 7. Os ingressos para a exibição já estão disponíveis na bilheteria do cinema, pelo preço único de R$ 10. A produção audiovisual, dirigida e roteirizada pelos gaúchos Leo Garcia e Zeca Brito, revive a trajetória deste expoente do jornalismo nacional.
A iniciativa de exibir este documentário na Rainha da Fronteira surgiu de uma parceria entre o bajeense Zeca Brito com o curso de Jornalismo da Universidade da Região da Campanha (Urcamp), coordenado pelo professor Glauber Pereira, e, com o apoio do cinema local, a sessão foi aberta à comunidade. "É muito gratificante para nós, realizadores, exibirmos o filme em Bagé. Para mim, tem um sabor especial, pois é na minha terra natal e, mais ainda por ser uma cidade que tem um curso de Jornalismo tão atuante e importante para a formação de novos profissionais e para manter viva a chama da comunicação e do Jornalismo", declara o diretor.
De acordo com Brito, a produção, que está chegando na sexta semana de exibição em circuito nacional, busca resgatar a vida de Tarso de Castro e salientar a sua importância para o jornalismo brasileiro, além de apresentar uma nova leitura da profissão através deste personagem impar.
"Muita gente se esforçou para tentar apagar Tarso da história (e isso é abordado no nosso filme), então espero que ele seja redescoberto, principalmente por parte das novas gerações", afirma o também diretor, Leo Garcia. Entre os entrevistados na produção, estão o cartunista Jaguar, o jornalista Sérgio Cabral e o filho de Tarso, João Vicente de Castro, além de outros companheiros do jornalista, como Paulo César Pereio, Caetano Veloso, Antônio Pedro, Nélson Motta, Roberto D'Ávila, Bárbara Oppenheimer, Paulo Caruso e Gilda Midani.
Segundo o proprietário do Cine 7, Sérgio Gonçalves, a parceria com a Urcamp é a realização de um compromisso social que só tende a crescer conforme o tempo. Gonçalves destaca que a importância da exibição também se dá tanto por ser de um personagem importante quanto por consistir num trabalho dirigido por um bajeense e fomentar a produção audiovisual local.

O personagem
O jornalista gaúcho Tarso de Castro nasceu em Passo Fundo, no dia 11 de setembro de 1941. Foi idealizador do jornal O Pasquim e do caderno Folhetim da Folha de S. Paulo. Se destacou como um dos intelectuais que resistiram à ditadura militar e promoveram uma verdadeira revolução nos costumes e na cultura brasileira durante os anos 60, 70 e 80.
Tarso de Castro morreu de cirrose hepática, em 1991, aos 49 anos de idade, deixando para trás amigos, amores e inimigos que conquistou através de uma vida de prazeres excessivos e dedicada ao jornalismo."O personagem Tarso de Castro é paradigmático na história do jornalismo brasileiro do século XX. Além de ter sido idealizador do O Pasquim, que foi a grande voz da imprensa alternativa durante o período da ditadura militar, ele também editou e dirigiu uma série de outras publicações e foi muito importante em todos os veículos que passou. Onde não existia liberdade de imprensa, Tarso conseguiu driblar a ditadura através de metáforas muito inteligentes e com uma postura muito combativa", destaca Brito.
O trailer do documentário pode ser visualizado através do link: www.youtube.com/watch?v=iwdk9QMmbkk&feature=youtu.be.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...