ANO: 25 | Nº: 6257
29/06/2018 Fogo cruzado

Graciano defende lisura do processo de criação da Casa de Hospedagem

Foto: Sidimar Rostan/Especial JM

Líder do governo destacou importância do serviço durante manifestação na tribuna
Líder do governo destacou importância do serviço durante manifestação na tribuna
Sob críticas da oposição e questionamentos que levantados até por integrantes da base, o líder do governo no Legislativo bajeense, vereador Graciano Aristimunha, do DEM, defendeu a lisura do processo de seleção do imóvel que abriga a Casa de Hospedagem, em Porto Alegre. O prédio destinado ao serviço pertence ao presidente do Tribunal de Contas do Estado do Rio Grande do Sul (TCE-RS), Iradir Pietroski, que foi deputado estadual pelo PTB. “Estamos muito tranquilos, por que não se fez nada irregular. As licitações são feitas a partir de R$ 8 mil. E o valor do imóvel que seria de R$ 7 mil, acabou não sendo cobrado, por que o proprietário, cedeu em comodato”, pontuou o democrata, fazendo referência aos pontos destacados por uma reportagem do jornal Zero Hora.
Além de rebater questões pontuais, a exemplo da distância entre o imóvel que a briga o serviço e a Santa Casa de Porto Alegre, o discurso do parlamentar reforçou, basicamente, a relevância social da Casa de Hospedagem, destinada para pacientes e acompanhantes que utilizam o Tratamento Fora do Domicílio (TFD). “O Ministério Público tem a função de fiscalizar e isso é muito bom. Estamos muito à vontade com a fiscalização. A casa está em uma localização privilegiada. O proprietário está dispensando o valor (do aluguel) por dois anos, porque quer colaborar com o município. Estamos tranquilos, porque estamos no caminho certo. Realmente estamos fazendo o que é melhor, o que é obrigação e o que é responsabilidade de um governo, que é dar atenção a quem precisa”, disse.
A partir da próxima semana, a Câmara inicia a avaliação do projeto que autoriza o Executivo a instituir a Casa de Hospedagem. A expectativa é de que a matéria seja votada em extraordinárias. Ainda durante a sessão de ontem, Graciano adiantou posição sobre a proposta. Ele também reforçou que a medida não vai impactar nas receitas. “O município de Bagé nunca fez licitação para alugar imóveis. E quando se fazia, me parece que a casa não questionava os valores. A verdade é que o governo reduziu os prédios alugados. Colocamos a Secretaria Municipal de Assistência Social, Habitação e Direitos do Idoso no KM 21. Esse governo tem a preocupação de economizar e bem gerenciar os recursos”, garantiu.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...