ANO: 25 | Nº: 6333
03/07/2018 Segurança

Fórum sedia primeira audiência do caso de latrocínio de Gilberto Silveira

Foto: Divulgação

Tradicionalista foi morto na noite de 31 de janeiro
Tradicionalista foi morto na noite de 31 de janeiro

A primeira audiência com testemunhas do caso de latrocínio que vitimou o tradicionalista Gilberto Bittencourt Silveira, na noite de 31 de janeiro deste ano, próximo ao Kartódromo Ayrton Senna, no bairro São Judas Tadeu, ocorreu ontem, na 2ª Vara Criminal do Fórum Comarca de Bagé. No ato, foram ouvidas cerca de 15 testemunhas de acusação.

A investigação foi realizada pela Delegacia Especializada em Furtos, Roubos, Entorpecentes e Capturas (Defrec), que apontou para crime de latrocínio (roubo seguido de morte). Ao todo, foram indiciadas seis pessoas.

 

Relembre

O ex-coordenador da 18ª Região Tradicionalista (18ª RT) e conselheiro do Movimento Tradicionalista Gaúcho (MTG), Gilberto Bittencourt Silveira, 48 anos, foi encontrado morto na noite de quarta-feira, 31 de janeiro deste ano, por volta das 21h30min, dentro de seu veículo Spacefox. Ele teria sido morto em uma rua em frente ao Kartódromo de Bagé, no bairro São Judas Tadeu. O acusado pelo crime foi preso horas depois.

Conforme o registro de ocorrência da Delegacia de Polícia de Pronto Atendimento (DPPA), a Brigada Militar foi chamada ao local, pois moradores haviam ouvido um disparo de arma de fogo próximo à pista.

Segundo o que os policiais militares descreveram no registro, a vítima estava caída, com bastante sangue na região da cabeça, no banco traseiro do veículo, com o rosto próximo ao chão e as mãos amarradas com um lacre plástico. Testemunhas relataram que havia um veículo Ford Ka, cor prata, abandonado nas proximidades, em uma passagem que une a rua Zero Hora, do Jardim do Castelo, ao campo do Kartódromo. A perícia de Santana do Livramento fez o levantamento no local. Do corpo de Silveira, foi retirado um projétil calibre 38.

 

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...