ANO: 25 | Nº: 6398
10/07/2018 Segurança

Centros de Atendimentos Socioeducativos do Estado registram superlotação

No mês passado, o caso de matricídio em Pinheiro Machado, envolvendo dois adolescentes, despertou o interesse de parte da população de saber como funciona as internações e apreensões de menores que são encaminhados ao Centros de Atendimentos Socioeducativos do Estado.

Buscando os números junto à Fundação de Atendimento Socioeducativo, o MINUANO identificou um fato inusitado: há uma superlotação de internações de adolescentes no Estado. Os dados foram divulgados no dia 6 de julho, pela Fundação de Atendimento Socieoeducativo (Fase).

Com um total de 765 vagas para internação, distribuídas em 13 unidades, em internação provisória, internação sem possibilidade de atividades externas (ISPAE), internação com possibilidade de atividades externas, internação sanção e semiliberdade, as unidades já contam com um total de 1.197 adolescentes apreendidos, estando com 432 jovens a mais da capacidade.

A unidade de Pelotas, para onde geralmente são levados os menores da região, tem capacidade para 40 internações, mas abriga, na atualidade, 86 internos, ou seja, mais que o dobro da capacidade.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...