ANO: 24 | Nº: 6039
11/07/2018 Cidade

Casa do Mel volta a atender produtores e população

Foto: Tiago Rolim de Moura

Meta será fomentar o setor, alegou Bayard
Meta será fomentar o setor, alegou Bayard

Depois de cerca de cinco meses de uma reforma que custou, à Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia e Inovação (SDI), cerca de R$ 16 mil, a estrutura que abriga a Casa do Mel foi reinaugurada, ontem, em solenidade com a presença de várias autoridades e produtores. O espaço fica situado na avenida Santa Tecla, 2780, e passa, de imediato, a contar com os processos de descristalização, filtragem, decantação, envase e rotulagem dos produtos. O prefeito Divaldo Lara participou do ato.

Conforme o titular da SDI, Bayard Paschoa Pereira, a estrutura, construída em 1989 e funcionou por pouco tempo. De 2003 a 2007 foi reaberta de forma efetiva e a partir desta data operou de forma precária até 2015 com apenas dois produtores. Ele salientou que, além do prédio, foram revitalizados os equipamentos e implantadas, em parceria com os produtores, outras máquinas. A Casa do Mel, segundo o secretário, irá fomentar, agregar e incentivar a produção e, com isso, a geração de empregos e renda. "Qualquer apicultor da região pode utilizar a estrutura, independente de ser integrante da Associação de Apicultores de Bagé (Api)", destaca.

O vice-presidente da Api e engenheiro-agrônomo, Flávio Mena Barreto, comenta que, em Bagé e região, há em torno de 100 apicultores e cerca de 40 são sócios da entidade. A produção anual é de aproximadamente 800 toneladas. "O mel é um importante alimento, além de ser um adoçante natural", observa.

O produtor afirma que trabalhar com mel é uma satisfação porque, além de ser biologia pura, pelo trato com as abelhas, o produto tem muitas potencialidades e conta com açúcares, vitaminas, proteínas, enzimas e sais minerais importantes para o organismo. Além de alimento, o mel é utilizado para a linha de cosméticos e também medicinal.

A produtora e integrante da comissão que auxilia na reestruturação da Casa, Rosa Michita Rezende, ressalta que o local atua dentro dos padrões sanitários e, a partir do produto, é possível utilizar para a fabricação de vários derivados. Ela, por exemplo, produz a bebida hidromel, que é uma uma bebida alcoólica tradicional, fermentada a partir de mel, água e levedura. "Além desse, há inúmeras possibilidades como a meldolati, pão, balas, entre outros", comenta.

A Casa conta com um veterinário responsável, Domingos Braga. Ele adianta que o próximo passo é adquirir uma máquina para embasar sachês, que devem ser integrados à merenda escolar do município. O processo ainda está em negociação. A Secretaria também está em processo de instaurar o serviço no Sistema de Inspeção Municipal (SIM), para, nos próximos meses, possibilitar que a unidade possa comercializar o mel para diversas cidades do País.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...