ANO: 25 | Nº: 6308
13/07/2018 Segurança

Júri condena homem por tentativa de homícidio ocorrido em 2013

Foto: Divulgação

Réu foi condenado a quatro anos e quatro meses no regime semiaberto
Réu foi condenado a quatro anos e quatro meses no regime semiaberto

Felipe Bento Winck, de 31 anos, foi condenado pelo júri popular no Tribunal do Júri do Fórum da Comarca de Bagé, ontem, a quatro anos e quatro meses no regime semiaberto, podendo recorrer em liberdade, por tentar matar Fernando Fagundes Nogueira, de 20 anos, com golpes de faca, no dia 20 de janeiro de 2013, próximo a um posto de combustíveis, na avenida General Osório.

A vítima relatou não conhecer o réu e destacou que estava no local com um amigo e duas jovens. Após dar uma carona para elas, foi agredido a faca por Winck. “Eu e meu amigo estávamos num posto e uma amiga dele pediu carona de uma festa, próximo ao colégio Justino Quintana, pois lá havia uma briga e elas queriam ir embora. Fomos até lá e pegamos as meninas, uma delas morava perto do posto. Então, fomos até ali e a outra pediu para ir embora. Ela falou algo no telefone, que não entendi, e a deixamos, quando voltamos para o posto, o réu veio em minha direção com um capacete, começou a me agredir e depois me acertou com a faca no abdômen”, explicou.

Nogueira também contou que nem tinha percebido que estava ferido, quando viu que estava ensanguentado. “Toquei e percebi que tinha levado uma facada. O meu amigo, então, arrancou de carro e me levou para o pronto-socorro. Tive que fazer cirurgia”, completou.

Testemunhas

O amigo da vítima foi o primeiro a ser ouvido. Contou que não conhecia o réu e que somente viu a briga e acredita que foi por ciúme de uma das meninas que estava no veículo de carona. A testemunha destacou que o réu chegou muito alterado próximo ao carro, já xingando e falando de uma das meninas e após agrediu a vítima. Ele salientou que não viu a faca e somente viu que seu amigo estava cortado após arrancar com o carro.

A menina, que seria ex-namorada do réu, também foi ouvida e salientou que tinha terminado o relacionamento com ele, que acredita que, por ciúme, agrediu a vítima. “Ele já havia me agredido outras vezes. Neste dia, ele estava próximo ao posto e pedi para me levar na casa de uma amiga. Eles me deixaram e voltaram, não estava junto no momento do fato. Após ele fazer isso com o rapaz, foi atrás de mim e me agrediu, puxou meus cabelos, me chutou e me levou para um motel onde me abusou”, contou a jovem. Ela relatou, também, que não conhecia a vítima, pois sua amiga que havia pedido carona para o amigo dele.

A irmã da ex-namorada do réu salientou que o relacionamento deles era problemático e que ele era muito ciumento.

Depoimento do réu

O réu enfatizou que estava arrependido do ocorrido. “Me arrependi de ter agredido ele, não tinha intenção de matar. Eu não agredi a minha ex-namorada, isso não é verdade, não a levei para lugar algum e tampouco abusei dela. Eu que terminei o namoro porque ela estava andando com uma menina que usava drogas e não queria isso”, concluiu.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...