ANO: 25 | Nº: 6312
13/07/2018 Cidade

Representante do Estado fala sobre tratativas para levar água potável à Serrilhada

Foto: Arquivo JM

Oliveira é secretário-executivo do Núcleo de Fronteira do RS
Oliveira é secretário-executivo do Núcleo de Fronteira do RS

Mais um passo foi dado para o fornecimento de água para a região Serrilhada, na divisa de Bagé, Dom Pedrito e o Departamento de Rivera. O governo do Uruguai aceitou a solicitação brasileira para ceder água a 64 pessoas que vivem no lado brasileiro da localidade. Há 23 anos, municípios da região disponibilizam luz para a localidade fronteiriça da Cerrillada, na parte uruguaia, que conta com 281 habitantes.

O secretário-Executivo do Núcleo de Fronteira do Estado do Rio Grande do Sul, José dos Santos Rosa de Oliveira, salientou que existem duas possibilidades para que os moradores recebam água. Uma delas já está mais encaminhada, que é a disponibilização por parte do governo uruguaio. A outra, que está tramitando no governo do Estado, é a perfuração de poços artesianos no local.

Conforme Oliveira, para que a primeira opção se concretize, é necessário que haja mudanças na constituição do país vizinho, e isso já está encaminhado, aguardando aprovação do parlamento uruguaio. Já a perfuração de poços só depende da assinatura do convênio e pode se concretizar através da Companhia Riograndense de Saneamento ou da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR).

Trâmites

As tratativas para levar água para a população da Serrilhada foi retratado pelo Jornal MINUANO, em reportagens especiais, desde 2014. As tratativas foram retomadas em janeiro do ano passado, já que o governo anterior iniciou os trâmites, porém sem avanços concretos.
O segundo passo, ocorreu no dia 2 de maio do mesmo ano, na própria localidade, quando o vice-prefeito de Bagé, Manoel Machado; o prefeito de Dom Pedrito, Mário Augusto de Freire Gonçalves; o intendente de Rivera, Marne Osorio Lima; e o deputado federal uruguaio Tabaré Vieira Duarte, assinaram uma carta de intenção, que garante que ambos os lados estavam dispostos em realizar os trâmites legais para que o país vizinho possa ceder água às casas do lado brasileiro. Em abril deste ano houve uma reunião na prefeitura de Bagé sobre o tema.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...