ANO: 25 | Nº: 6397
14/07/2018 Segurança

“Queda do número de homicídios é reflexo de elucidação e punição aos autores”, destaca Benites

Foto: Antônio Rocha

Delegado destaca o trabalho contra a impunidade
Delegado destaca o trabalho contra a impunidade

Os crimes contra a vida mantiveram, no primeiro semestre de 2018, a tendência de queda no Rio Grande do Sul. Em Bagé houve redução de 40% no número de homicídios, sendo 10 no mesmo período do ano passado e seis neste ano. O balanço dos dados estatísticos da criminalidade, apresentado pela Secretaria da Segurança Pública (SSP), nesta semana, aponta redução de 35,6% nos índices de latrocínio e 25,7% nos homicídios, em comparação ao mesmo período no ano passado. Os números de latrocínio em Bagé ficaram iguais, sendo um neste ano e um no ano de 2017, no mesmo período.

Ao todo, 17 indicadores são analisados. Eles representam os crimes de maior potencial ofensivo contra a vida e contra o patrimônio.

Números

Em Bagé, os furtos diminuíram de 869, até 30 de junho deste ano, para 916 no mesmo período de 2017. Os roubos também tiveram queda: de 191, em 2017, para 165, em 2018. Os abigeatos baixaram de 88, no ano passado, para 64 neste ano - nos seis primeiros meses.

Já o tráfico de drogas aumentou: de 72, neste ano, para 31, no ano passado.

Avaliação

Questionado sobre as causas para a redução dos indicadores, o titular da 9ª Delegacia de Polícia Civil, delegado regional Luís Eduardo Benites, destacou que é a elucidação dos casos e a punição aos culpados. “Esse é um reflexo de um trabalho que viemos fazendo a dois anos, quando tivemos números altos de mortes violentas e começamos um combate, principalmente, ao crime de tráfico de drogas”, relatou.

Benites contou que a elucidação com uma investigação eficiente também auxilia nessa queda. “Os autores são presos e acaba aquela sensação de impunidade, o que faz com que retroceda, pois vemos em outros municípios onde há dificuldade de elucidação um aumento significativo nos números de mortes. Estamos com quase 100% de elucidação em todas delegacias e os culpados presos”, completou.

O delegado ressalta que as organizações criminosas estão sendo desarticuladas. “Realizamos diversas operações policiais, desarticulando ações das organizações criminosas e isso faz a redução”, complementou. Ao ser indagado sobre as mortes com requintes de violência que ocorreram neste ano, Benites acrescentou que houveram diversos casos passionais. “Os crimes onde há envolvimento da vítima com o autor, como o feminicídio que tivemos neste ano, além de problemas familiares que o Estado não consegue prever, há, ainda, a dificuldade de prevenção, mas mesmo assim estamos punindo os culpados”, concluiu.

 

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...