ANO: 25 | Nº: 6379
16/07/2018 Opinião

Os princípios do PT

por Flavius Dajulia – presidente do PT de Bagé

Semana passada, Divaldo Lara usou a sua coluna neste jornal para atacar o PT. Não foi a primeira vez e, provavelmente, não será a última, dada a sua obsessão em tentar destruir o legado que nosso partido deixou na cidade. Legado reconhecido e apoiado pela população.
A conduta do prefeito é triste e em tudo diferente do que se espera de alguém que foi eleito para governar em nome de todos. Lara resolveu se manter no palanque e se comporta como se ainda fosse um candidato. Divide ao invés de somar, incentiva a intolerância ao invés do diálogo, faz política baixa, ao invés de tentar resolver os problemas da cidade.
Os argumentos que usou para criticar os deputados petistas que conseguiram um habeas corpus para o presidente Lula, que está preso de forma injusta e ilegal, são rasos e reproduzem uma narrativa que tenta retirar a legitimidade de o presidente Lula se defender. Sugere, sem qualquer comprovação, que houve armação entre os deputados e o desembargador.
Ora, toda a sociedade brasileira sabe que a prisão do presidente Lula está amparada não por uma visão jurídica (juristas respeitados demonstram isso, o que pode ser acessado aqui: https://www.ocafezinho.com/2018/01/09/baixe-aqui-livro-de-juristas-sobre-sentenca-de-lula-e-liberado-gratuitamente-na-internet/), mas por uma decisão política, cujo objetivo fundamental é retirar-lhe o direito de disputar a próxima eleição. Querem impedir Lula de voltar à presidência e recuperar as políticas que fizeram o Brasil crescer e os pobres serem incluídos social e economicamente.
Então, a legitimidade dos deputados em pleitear a liberdade de Lula é inquestionável. A da decisão do desembargador Favreto também. Era o plantonista e o desembargador de plantão representa todo o tribunal. Vejam que especular com o fato de que Favreto já foi do PT é de uma incoerência absoluta e revoltante, porque esses mesmos que atacam a decisão do desembargador, não atacaram a decisão do ministro do STF Alexandre de Moraes, ex-tucano, quando rejeitou pedido de habeas corpus para o ex-presidente.
O juiz Moro, por exemplo, cuja competência é zero em relação à execução da pena, deixou as próprias férias para "despachar" uma contra-ordem a alguém que lhe é superior e para articular, através de contatos diretos com a Polícia Federal, o descumprimento da ordem judicial. Moro demonstrou, com a sua conduta, todo o comprometimento político que tem sobre o caso, evidenciando sua parcialidade e seu comportamento persecutório em relação a Lula.
A manifestação do prefeito é uma tentativa de agredir e ferir uma força política que se opõem ao seu governo. E opõe-se porque sabe que a conduta do PTB está ancorada em uma visão desastrosa para o Brasil e para Bagé, como foi possível verificar recentemente em matéria do Jornal Nacional que mostrou como se comporta este partido quando está no governo (a matéria pode ser acessada aqui: http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2018/07/ministro-do-trabalho-helton-yomura-do-ptb-e-afastado-e-pede-demissao.html). Os bajeenses saberão responder a essa conduta agressiva, odiosa e mentirosa quando escolherem seus representantes.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...