ANO: 25 | Nº: 6334
18/07/2018 Cidade

Valor do cesto básico reduz no segundo trimestre de 2018 em Bagé

Foto: Tiago Rolim de Moura

Batata apresentou queda de 42%
Batata apresentou queda de 42%

No segundo trimestre de 2018, houve uma redução de 13% nos custos dos produtos do cesto básico em Bagé em relação ao primeiro trimestre. Isso conforme pesquisa desenvolvida por acadêmicos e professores do curso de Administração e divulgada pelo Centro de Ciências Sociais Aplicadas/Consultoria Júnior (CCSA) da Universidade da Região da Campanha (Urcamp). No período avaliado, houve oscilações alternadas nos 33 produtos de consumo pesquisados.

Vários produtos continuaram tendo queda de preços e houve poucas variações de produtos com aumento de seus valores. A batata inglesa apresentou uma redução de 42% no seu custo ao consumidor; carne teve queda de 34% e a laranja contabilizou uma diminuição significativa - em torno de 30%. O gás de cozinha também apresentou valores mais baixos no segundo trimestre, obtendo uma redução de 11,34%.

Quanto aos produtos de higiene e limpeza que haviam tido quedas significativas nos preços no primeiro trimestre, no segundo tiveram um revezamento em alguns produtos. O item de higiene com maior elevação foi o sabonete, tendo alcançado 59% de aumento. Já o item desse grupo com maior redução foi o desodorante, que obteve uma diminuição de 40%. No grupo limpeza, o sabão em barra foi o item que obteve o maior percentual de elevação, atingindo 85% de aumento, e o sabão em pó foi o de maior redução neste grupo, com queda de 30%.

Conforme os professores responsáveis pela pesquisa, Rita Luciana Saraiva Jorge e Ricardo Leal Cougo, o País permaneceu em crise, no segundo trimestre de 2018, e a inflação voltou a subir. A greve dos caminhoneiros, que ocorreu no final de maio, também deve refletir para o agravamento da situação econômica, principalmente no segundo semestre deste ano.

Os pesquisadores também enfatizaram que o dólar voltou a ter elevações consideráveis, tendo ultrapassado a marca dos R$ 4, e, agora, teve uma redução para R$ 3,87, o que ainda é um patamar bastante alto. De acordo com o estudo, o valor do cesto básico compromete 72,33% do valor do salário mínimo vigente.

Os produtos pesquisados foram banana, batata inglesa, tomate, arroz, farinha, feijão, café solúvel, sal, açúcar cristal, óleo de soja, leite, margarina, pão francês, carne bovina, frango, erva-mate, leite, alface, laranja, caixa de fósforo, gás de cozinha, sabonete, desodorante, creme dental, papel higiênico, absorvente íntimo, aparelho de barbear, xampu, sabão em barra e em pó, desinfetante, detergente líquido, vassoura e esponja de aço.

De acordo com o empresário Marcos Gomes, que é proprietário de um minimercado no bairro Getúlio Vargas, os valores dos produtos de hortifruti, como a batata, têm sofrido oscilações diárias. Ele salienta que o tubérculo já foi vendido por até R$ 8 o quilo, mas agora está um pouco mais estável, custando R$ 1,99 o quilo. "Nos produtos de higiene e limpeza, as subas são mensais e a cada compra há um acréscimo de 6% a 8%", disse.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...