ANO: 26 | Nº: 6590
23/07/2018 Cidade

Luís Vagner revela intenção de interagir com músicos de Bagé

Foto: Tiago Rolim de Moura

Guitarreiro pretende interagir com músicos do Imba
Guitarreiro pretende interagir com músicos do Imba

O músico e compositor Luís Vagner Dutra Lopes, que nasceu em Bagé, no dia 20 de abril de 1948, foi homenageado na Casa de Cultura Pedro Wayne, na quinta-feira. O artista, conhecido como ‘Guitarreiro’, se emocionou ao chegar em sua terra natal após 67 anos e adiantou já ter planos de voltar à cidade. Ele se apresentou na primeira edição dos Compositores de Bagé, com os professores do Instituto Municipal de Belas Artes (Imba), que interpretaram canções de Jerônimo Jardim, Luíz Coronel, Lúcia Antônia Bezerra de Melo e Rafael Vernet. 
Luís Vagner, que revelou a intenção de manter o contato com músicos do Imba, saiu de Bagé com três anos e foi morar com a família do pai em Dom Pedrito. Sua vida artística iniciou em 1963, em Santa Maria. Acompanhado do amigo e produtor Claudiomar Carrasco Martins, o compositor que já tocou com vários artistas nacionais, como Jorge Bem Jor e Toni Tornado, após ter vivido por anos na França, se emocionou com a homenagem dos conterrâneos.
O músico foi embora no sábado, mas antes recebeu a reportagem do Jornal MINUANO. Alegre e bem humorado, no auge de seus 70 anos, contou que ficou encantado com a cidade, e a musicalidade dos artistas. “Foi uma emoção, saio de Bagé renovado e com planos de voltar para ficar uma semana”, brinca.
Guitarreiro disse que sua música reflete a cultura afro e cisplatina. ”Temos um jeito diferente de todos os locais do mundo”, avalia. Para o compositor que está se recuperando de um problema de saúde, a energia e a forma humanitária com que foi recebido, trouxe uma renovação.
O artista visitou a região conhecida como Panela do Candal, local onde viveu até os três anos, e contou que tinha muitas lembranças. Nascido e criado em uma família ligada à música (seu pai, Vicente Lopes, era músico da orquestra Copacabana Serenaders, e seu avô, Romário Lopes Brasil, além de fotógrafo, era flautista), Luís Vagner logo cedo teve contato com a música. Seu primeiro violão foi presente do avô e desde então procurou seu próprio caminho, após receber influências de todo o tipo de música.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...