ANO: 25 | Nº: 6458
24/07/2018 Cidade

Campanha de vacinação contra poliomielite e sarampo acontece em agosto 

Foto: Tiago Rolim de Moura

Em Bagé, não há casos suspeitos na atualidade
Em Bagé, não há casos suspeitos na atualidade
A Campanha Nacional de Vacinação Contra a Poliomielite e o Sarampo acontece de 6 a 31 de agosto. A população alvo da ação é composta por crianças de um ano até quatro anos, 11 meses e 29 dias. A meta é vacinar, ao menos, 95% deste público, independente se a caderneta de vacinação estiver em dia ou não.
Segundo o Ministério da Saúde, 312 municípios brasileiros estão com a cobertura vacinal abaixo de 50%. Em Bagé, até o último levantamento, a cobertura contra a poliomielite era de 81,24%. Já o sarampo, de acordo com a coordenadora do setor de imunização do município, Tatiana Miranda, a imunização é de 80%, mas nos últimos dias teve grande procura da população. Até o momento, não há casos suspeitos e nem confirmados dos dois vírus no município.
Conforme o coordenador regional adjunto de Saúde, Carlos Magno Cesarino, os números em Bagé, assim como em toda a região, refletem o cenário nacional de baixas coberturas vacinais do sarampo e da poliomielite, mais conhecida como paralisia infantil. “Como já não se ouvia falar nessas doenças há algum tempo no Brasil, muitas pessoas deixaram de vacinar seus filhos. Isso abriu a possibilidade para o retorno da pólio e do sarampo. Agora, estamos juntando esforços para reverter isso. Já participamos de reuniões com outras regionais e, hoje (ontem), realizamos uma reunião regional para começar a traçar nossas metas para a campanha”, declara.
O sarampo, por exemplo, que não era registrado no Brasil desde 2015, retornou neste ano, causando mortes no Norte do País. No Estado, já foram confirmados sete casos importados de pessoas com viagem à Europa e Amazonas. 
A poliomielite, por sua vez, está erradicada no Brasil desde 1994, o último caso registrado no RS foi em 1983. Cesarino destaca a importância de contribuições, como a dos clubes de Rotary em Bagé, que são parceiros na luta pela erradicação da pólio.
A vacina tríplice viral – que protege contra o sarampo, caxumba e rubéola - teve cobertura de 90,5% da primeira dose (aos 12 meses de idade) em 2016 e 78% em 2017. A segunda dose – dada com a tetraviral (que inclui ainda a varicela) aos 15 meses de idade – registrou cobertura de 87% em 2016 e 58,7% ano passado. A vacina da pólio também apresentou cobertura abaixo de 90% nos últimos três anos: 89% em 2015, 84% em 2016 e 81% no ano passado.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...