ANO: 25 | Nº: 6378
26/07/2018 Cidade

Coopersul deve se tornar permissionária até o final do ano

Foto: Tiago Rolim de Moura

Cooperativa atende 5,8 mil famílias na região
Cooperativa atende 5,8 mil famílias na região

A Cooperativa Regional Eletrificação Rural Fronteira Sul Ltda. (Coopersul) está trabalhando, desde o início deste ano, para transformar a entidade em permissionária e, com isso, diminuir os valores da conta de luz para os usuários da rede. Atualmente, a entidade trabalha como distribuidora da Companhia Estadual de Energia Elétrica (CEEE) e tem seus reajustes de energia vinculados à estatal. Com a mudança, os valores serão ajustados diretamente pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Conforme o diretor-secretário da Coopersul, Danilo Medina Pereira, a estimativa é que o contrato com a Aneel seja assinado no final deste ano e, a partir de 2019, a cooperativa deva ter mais condições técnicas para atender seus associados, além de possibilitar uma diminuição na cobrança pelo serviço. “Hoje, compramos a energia e distribuímos baseados nos valores da CEEE. Como estamos no período em que a energia é mais cara, o consumidor paga R$ 5 a mais por cada 100 quilowatts utilizados”, diz.

Pereira explica que, a partir dessa mudança, a fiscalização do serviço prestado pela Coopersul, que atualmente é realizada por conselho interno, passará a ser responsabilidade da Aneel. Segundo o diretor, a cooperativa, hoje, tem custo elevado porque atende uma área com longas distâncias e poucos usuários de grande porte.

A Coopersul funciona, na atualidade, na condição de cooperativa autorizada. Após a mudança, deverá repassar relatórios periódicos de valores e custos para a agência. Através da documentação, a cooperativa justificará o motivo de seus custos elevados em relação à CEEE, que atua como sua entidade supridora, o que permitirá a entidade receber subsídio da Aneel para a nivelação dos valores.

Uma exigência do órgão nacional, apontada por Pereira, é que a Coopersul passe a oferecer, unicamente, o serviço de distribuição de energia. Isso, possivelmente, acarretará na terceirização de algumas atividades realizadas pela entidade, assim como na desativação de alguns setores, como a fábrica de postes e oficina de manutenção, o que deve diminuir as despesas. Ainda segundo o secretário, a agência também ficará encarregada de ressarcir os associados quando houverem cortes nos serviços da companhia.

A entidade é responsável pelo abastecimento elétrico nas casas de aproximadamente 5,8 mil famílias, compreendendo cerca de 1,7 mil quilômetros de rede. Há 45 anos na região, a Coopersul abastece todo o território de Aceguá, 95% de Hulha Negra, 40% de Candiota (na região da localidade de Seival) e 5% de Bagé. Para o processo de regularização de cooperativas como permissionárias de serviço público de distribuição de energia elétrica, é necessário ter a homologação da área de atuação; das tarifas iniciais e fornecimento e a assinatura do contrato de permissão.

 

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...