ANO: 24 | Nº: 6109
27/07/2018 Cidade

Ordem de início da obra de saneamento em Aceguá será assinada no final de agosto

Foto: Arquivo JM

Estão previstos nove quilômetros de rede de coleta
Estão previstos nove quilômetros de rede de coleta

 

A prefeitura de Aceguá confirmou, ontem, a data prevista para o início da obra do Projeto Binacional de Saneamento Urbano Integrado Brasil/Uruguai. O empreendimento, financiado com recurso do Fundo para a Convergência Estrutural do Mercosul (Focem), irá começar no dia 21 de agosto, quando será assinada a ordem para começo dos trabalhos.

De acordo com o vice-prefeito de Aceguá, Júlio César Monteiro, a Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) está finalizando o processo licitatório para realizar o contrato. Ele comenta que cinco empresas participaram do certame. No lado uruguaio do município, a obra iniciou em agosto do ano passado.

O projeto binacional que irá beneficiar em torno de 1,2 mil pessoas que residem na zona urbana do município de Aceguá, no lado brasileiro, foi apresentado ao Focem, em 2012, na outra gestão do prefeito Gerhard Martens, e teve o convênio assinado em 2013, pelo ex-prefeito, Júlio Pintos. A obra foi aprovada em 2013. Em 2015, foi liberada a Licença Ambiental pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam). Em julho de 2016, a Corsan realizou um processo licitatório para compra de materiais, que foi cancelado pelo Focem. “Foram realizadas várias etapas para que fosse liberada a licença ambiental e de instalação ”, informa Monteiro.

Conforme o vice-prefeito, serão construídas uma estação de tratamento e três estações elevatórias de bombeamento do esgoto. No início do ano passado, a prefeitura cedeu o uso de uma área pública do município de Aceguá para a Corsan, onde deve ser construída uma das estações de bombeamento. O projeto abrange nove quilômetros de rede de coleta, distribuição e tratamento, e irá englobar 100% das residências, nos lados uruguaio e brasileiro, com um aporte de 5,7 milhões de dólares do Focem e o restante, 1,9 milhão de dólares, custeado em contrapartida pela Corsan e Obras Sanitárias del Estado (OSE).

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...