ANO: 25 | Nº: 6399
01/08/2018 Cidade

Banrisul disponibiliza linha de crédito similar ao Fundo Clima

Foto: Tiago Rolim de Moura

Kreutz destaca benefício a projetos sustentáveis
Kreutz destaca benefício a projetos sustentáveis

O Programa Fundo Clima, financiado com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES), foi cancelado. A expectativa é que seja retomado no final de agosto de forma remodelada. O financiamento, em Bagé, era disponibilizado pelo Banrisul e tinha o objetivo de fomentar a implantação de empreendimentos, a aquisição de máquinas e equipamentos e o desenvolvimento tecnológico relacionados à redução de emissões de gases do efeito estufa e à adaptação às mudanças do clima e aos seus efeitos.

Conforme o gerente geral do Banrisul, Vitor José Kreutz, o Fundo Clima foi lançado no dia 9 de julho e foi encerrado no dia 30 do mesmo mês. Ele salienta que o banco não teve tempo hábil de realizar nenhum contrato, mas está possibilitando, para os clientes, um outro tipo de financiamento, que é o Crédito Direto ao Consumidor (CDC) sustentabilidade.

Kreutz explica que o CDC se destina a financiamentos de itens sustentáveis, de fabricação nacional ou estrangeira como: kit de gás natural, adaptação para biocombustíveis, coletores solares térmicos (para aquecimento de água), equipamentos de energia solar (placas, baterias e inversores) e eólica (pequenas estações), projetos de eficiência energética apresentados e/ou elaborados pela Energy Services Company (Escos), substituição de lampadas e outros e equipamentos mais eficientes no consumo de energia elétrica (toda a linha branca, como ar condicionado e geladeira), caixas d’água para coleta de água da chuva e reaproveitamento. “O prazo de financiamento é de 72 meses, com uma taxa de 1,9% ao mês”, comenta.

Segundo o gerente, não há um valor específico de financiamento, que é analisado de acordo com a capacidade do cliente. Kreutz ressalta que o CDC sustentabilidade tem mais opções de itens financiados. “O Fundo Clima disponibilizava apenas sistemas geradores fotovoltaicos, aerogeradores até 100 quilowatts, motores movidos a biogás e inversores de frequência e coletores ou aquecedores solares”, explica.

 

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...