ANO: 25 | Nº: 6333
03/08/2018 Segurança

Manifesto alerta para furtos e arrombamentos contra o Ciep

Foto: Divulgação

Aparelhos eletrônicos foram levados por criminosos
Aparelhos eletrônicos foram levados por criminosos

Na manhã de quarta-feira, alunos, funcionários e professores da Escola Estadual Luiz Maria Ferraz - Ciep fizeram uma manifestação para assinalar a sequência de furtos, arrombamentos e atos de vandalismo que estão ocorrendo contra a instituição desde o final do ano passado.

A vice-diretora da escola, Joice Fernandes da Silva e Souza, explicou que a situação é triste. “No final de semana, eles fizeram uma limpa, levaram ar-condicionado, aparelho de internet (roteador Wi-fi), janelas de alumínio, materiais de professores, toda a fiação, lâmpadas da sala dos alunos, entortaram armários, a situação está muito difícil”, explicou.

Joice também contou que havia, anteriormente, um sistema de segurança que o Estado custeava, mas que, agora, tal serviço não é mais mantido. "Então a equipe diretiva e professores resolveram investir e contrataram uma empresa. Mas não resolve, eles chegam e os autores já levaram tudo e fugiram, não temos mais a que recorrer”, informou a docente.

A professora relatou, também, que a direção já procurou a Polícia Civil e também já registrou, pelo menos, 10 boletins de ocorrência relatando ataques desde o final do ano passado. “Já ocorreram situações onde a professora estava em sala de aula com os alunos e os ladrões chegaram com pé de cabra e furtaram a janela durante a aula. É horrível o que tem ocorrido com a nossa escola. O que nos deixa muito triste é que nunca a polícia esteve aqui, nenhum policial conversou conosco e não há segurança”, complementa.

Na instituição há cerca 850 alunos e as aulas ocorrem em três períodos: manhã, tarde e noite.

O que pretende a Coordenadoria Regional

O titular da 13ª Coordenadoria Estadual de Educação, José Carlos Nobre, ressaltou que está buscando alternativas. “Além do Ciep, também estamos enfrentando essas ondas de furtos e arrombamentos contra a Escola Félix Contreiras. Eu estou procurando o comandante do 6º Regimento de Polícia Montada para marcarmos uma reunião, onde visamos ter mais reforço no policiamento”, explicou.

Nobre destaca que o importante é conscientizar a comunidade, pois a escola é um bem de todos. “Queremos fazer ações conjuntas, criar um grupo de conversas na rede social WhatsApp com os policiais militares para ter um canal onde a direção possa passar informações. Esta é a nossa prioridade. Queremos que a comunidade também auxilie, que se enxergarem qualquer situação de furtos e arrombamentos que denunciem para a polícia e também para a coordenadoria”, acrescentou.

 

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...