ANO: 25 | Nº: 6335

Airton Gusmão

redacaominuano@gmail.com
Pároco da Catedral
11/08/2018 Airton Gusmão (Opinião)

O Evangelho da família, alegria para o mundo

Com o tema: “O Evangelho da família, alegria para o mundo”, acontece em todo o Brasil, de 12 a 18 de agosto, a Semana Nacional da Família.
Diz uma canção bastante conhecida, falando da família, o seguinte: “Que nenhuma família comece em qualquer de repente. Que nenhuma família termine por falta de amor. Que o casal seja um para o outro de corpo e de mente. E que nada no mundo separe um casal sonhador. Que nenhuma família se abrigue debaixo da ponte. Que ninguém interfira no lar e na vida dos dois. Que ninguém os obrigue a viver sem nenhum horizonte. Que eles vivam do ontem no hoje em função de um depois”.
Mesmo sob a influência da “cultura do provisório”, onde as pessoas com facilidade passam de uma relação afetiva para outra; em que acreditam que o amor, como acontece nas redes sociais, possa ser conectado ou desconectado ao gosto do consumidor; que propaga o medo de um compromisso permanente, com a obsessão pelo tempo livre, com relações medidas por custos e benefícios, tudo isso na perspectiva do descartável; precisamos continuar afirmando que o bem da família é decisivo para o futuro do mundo e da Igreja. Por isso, como nos diz o Papa Francisco: “Todos são chamados a cuidar com amor da vida das famílias, porque elas não são um problema, mas sobretudo uma oportunidade” (Exortação Apostólica pós-sinodal sobre o amor na família, nº 7).
A família continua sendo um dos tesouros mais importantes e patrimônio da humanidade. Deus quis nascer numa família humana, que ele mesmo formou. Em Nazaré, segundo os costumes de uma família israelita piedosa e diligente, trabalhava-se, a mãe cozinhava, ocupava-se dos afazeres de casa; o pai, carpinteiro, labutava, ensinava o filho a trabalhar. Porém, o mais importante era a família. Não era uma família fictícia, nem uma família irreal. A família de Nazaré compromete-nos a redescobrir a vocação e missão da família: deixar lugar a Jesus que vem, acolher Jesus na família, na pessoa dos filhos, do marido, da esposa e dos avós e demais familiares.
A propósito, falando sobre a santidade no mundo atual, o Papa Francisco nos diz: “Todos os fiéis, seja qual for a sua condição ou estado, são chamados pelo Senhor à perfeição do Pai, cada um por seu caminho. Todos somos chamados a ser santos, vivendo com amor e oferecendo o próprio testemunho nas ocupações de cada dia, onde cada um se encontra. Estás casado? Sê santo, amando e cuidando do seu marido ou da tua esposa, como Cristo fez com a Igreja” (Sobre o chamado à santidade no mundo atual, 11 e 14).
No subsídio da Semana Nacional da Família, da CNBB Regional Sul 3, nos é dito o seguinte: “Em nossas casas tudo tem seu lugar e ocupa o seu espaço. Mas qual é o lugar em nossa casa que nos faz lembrar de Deus? A Pastoral Familiar faz este convite: construa o ‘Cantinho de Deus’ em sua casa. O que não pode faltar? A Cruz de Cristo; a Palavra de Deus e a Água benta. Você pode acrescentar: a vela, a foto da família, a imagem de Nossa Senhora, da Sagrada Família ou santo de devoção e flores. Cada dia, ao sair de casa e antes de descansar, leia um texto da Palavra de Deus para iluminar o teu dia; toque a Cruz de Cristo salvador e redentor e com a água benta trace sobre si o Sinal da Cruz”.
Que o Deus Trindade, comunhão perfeita de amor abençoe todas as famílias e, de modo especial neste final de semana, todos os pais. Façamos a nossa parte. Sejamos alegres na esperança, fortes na tribulação, perseverantes na oração e solidários com os que sofrem. Um bom final de semana a todos e até uma próxima oportunidade.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...