ANO: 26 | Nº: 6590

Fernando Risch

fegrisch@gmail.com
Escritor
17/08/2018 Fernando Risch (Opinião)

Perca tempo nestas eleições

É oficial. Começou. Desde ontem, os candidatos perderam as amarras da legislação e não precisam mais fingir que não são candidatos. Já podem gritar seus números, cantar seus jingles, abanar transeuntes de cima de caminhonetas de luxo e apertar a mão de desavisados com preocupações mais latentes que o próprio futuro.

Mas, calme, leitor. Não se irrite nestas eleições, não permita que a ira lhe tome a cabeça, fazendo com que você se desgoste antes mesmo da coisa acontecer, abandonando em protesto as eleições, virando as costas ao pleito, xingando qualquer um que lhe requisite um votinho. Peço mais uma vez, como um candidato lhe pediria sua confiança, como pedi há algumas semanas, neste mesmo espaço: respire fundo. São só dois míseros meses.

Nestes 60 dias, que poderão ser prorrogados com o segundo turno, não jogue tudo para o alto. Pela primeira vez, vá que você não tenha feito isso em outras épocas, pare e analise. São duas dúzias de candidatos à Presidência. Em um tapa, por ideologia ou pela loucura do próprio candidato, você já elimina metade deles. Filtre, observe, escute, julgue e assista aos debates até você encontrar aquele que, com convicção, você entregará seu voto. Mas entregue seu voto a alguém, nem que seja aquela pessoa que parece não ter chance de ganhar, e que provavelmente não tem mesmo. Repita a ação para o governo do Estado.

Já na hora de escolher deputado federal, estadual e senadores, faça o contrário. Busque nomes que se alinhem com seu pensamento, vários deles. Traga os candidatos até você e tenha paciência. Então filtre, pesquise, investigue a pessoa. Ligue pra ela se for o caso, ela adorará conversar com você. Elimine até os remotamente-quase-que-talvez-corruptos. Veja o que os candidatos propõem para o Legislativo e, caso vá reeleger alguém, veja como este alguém votou em projetos importantes da Câmara que ele ou ela integrou.

Tivemos muitas votações importantes no passado recente, como a PEC 55 (ou PEC do Fim do Mundo), que impõe um teto para gastos públicos, e as Reformas Trabalhista e da Previdência. E teremos muitas outras votações importantes, principalmente no próximo ano, quando o novo ou a nova presidente tomará posse e levará seus planos ao Congresso para serem votados.

Pense com clareza. Perca tempo nestas eleições. Todos nós temos muitas coisas importantes a fazer. Eu, por exemplo, estou de mudança. Uma mudança acaba com qualquer um. Mas terei tempo para pensar e decidir, são dois meses. Faça isso também. Não tenha preguiça para algo tão importante quanto o futuro do Brasil.

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...