ANO: 24 | Nº: 6058
20/08/2018 Cidade

Campanha de vacinação contra sarampo e poliomielite foi intensa no Dia D

Foto: Tiago Rolim de Moura

Cobertura vacinal atingiu 60%
Cobertura vacinal atingiu 60%

No dia “D” da Campanha Nacional contra sarampo e poliomielite para a atualização da caderneta, realizado neste sábado, em todo o País, foram aplicadas mais de 500 doses em Bagé. A campanha teve início no dia 6 de agosto e se estende até o final deste mês.

A coordenadora de imunização do município, Tatiana Miranda, informa que foram contabilizados 300 atendimentos no Centro de Referência Materno-Infantil Camilo Gomes e 250 na unidade móvel, que estava na praça Silveira Martins (do Coreto). As unidades estiveram abertas das 8h às 17h, sem fechar ao meio-dia. Ela destaca que a procura foi intensa, superando as expectativas em todas as unidades básicas do município. “Atingimos a cobertura vacinal de 60% . As crianças de um ano a menores de cinco, que ainda não receberam a dose das vacinas, têm até o dia 31 de agosto para serem imunizadas”, informa.

A atendente Neusa Neiva Ferraz, 36 anos, aproveitou o dia de sol para levar as filhas para receber as doses. Ela conta que a menina mais velha não foi imunizada por falta do cartão da vacina, mas pretende levá-la ao posto de saúde. “É importante manter em dia a imunização, mil vezes doer na hora e ficar em segurança” diz.

A monitora de trânsito Renata Urdagarin, 30 anos, também levou as filhas Luane, dois anos, e Gabriela, 11 anos, para atualizar as vacinas. Para ela, é muito importante manter em dia as vacinas para a segurança das pequenas. “O dia ajudou muito”, comenta.

Meta

O dia “D” tem o objetivo de aumentar a cobertura vacinal das crianças. Segundo Tatiana, muitos estão com os esquemas vacinais incompletos ou atrasados. “Até o último dia, pretende-se chegar até 95% da cobertura. Os responsáveis devem procurar as unidades para não termos um surto de epidemia em nossa cidade”, enfatiza.

A coordenadora salienta que é de suma importância manter coberturas vacinais preconizadas pelo Ministério da Saúde e pelo Programa Nacional de Imunizações. “Dessa maneira, formamos barreiras de proteção em nosso município, evitando doenças que já estavam erradicadas, voltarem”, ressalta.

A campanha de vacinação, neste ano, foi intensificada devido ao surgimento de um maior número de pessoas infectadas por essas doenças. De acordo com o boletim de epidemiologia do Estado, atualmente, existem 13 casos de sarampo registrados no Rio Grande do Sul. 

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...