ANO: 25 | Nº: 6353
22/08/2018 Cidade

Corrida Fantástica dá início à Semana Nacional da Pessoa com Deficiência

Foto: Antônio Rocha

Evento foi realizado no Ginásio Militão em função da temperatura e possibilidade de chuva
Evento foi realizado no Ginásio Militão em função da temperatura e possibilidade de chuva
Bem mais que os 25 metros de pista, os competidores da quinta edição da Corrida Fantástica percorreram a tarde de ontem como protagonistas rumo ao pódio de chegada em uma grande celebração de respeito e aceitação às diferenças. A atividade, realizada no Ginásio Presidente Médici (Militão), deu o estarte à programação da Semana Nacional da Pessoa com Deficiência.

O evento, em seu quinto ano consecutivo, é realizado pela Associação Bajeense de Pessoas com Deficiência (Abadef), com parceria da Associação de Pais e Amigos do Excepcionais (Apae) e apoio da Secretaria Municipal de Juventude, Esporte e Lazer (Sejel). A presidente da Abadef, Cimone Gonzales, destaca que a atividade reuniu cerca de 80 participantes de Bagé, Aceguá e Candiota, que concorreram em modalidades que incluíram todas as especificidades de deficiências como cadeirantes e mobilidade reduzida ou pessoas com deficiência mental. "Esta edição foi mais que especial porque conseguimos reunir participantes de outros municípios, em um evento que cresce a cada edição. Os próprios competidores nos cobram a realização da corrida, e isso é superlegal porque nos mostra o quanto o evento se tornou tradicional", comenta.

Além disso, Cimone destaca que a tarde da Corrida Fantástica é uma tarde de atividades que respeitam as limitações com alegria e acolhimento, exaltando a capacidade de superação dos participantes. Um deles é o "veterano" das pistas Júlio Marcos Chinaipe, também conhecido pelo codinome Relâmpago McQueen. A bordo de seu audacioso carro vermelho, o menino de sete anos cortou a pista do Ginásio Militão, levando à frente do automóvel fabricado pela vizinha, uma artesã, a inicial de seu nome.

A mãe do pequeno, Margarete Chinaipe, conta que esta é a terceira participação do filho nas corridas. Nos anos anteriores, se apresentou ao público como Batman e aviador. "Ele fica o ano inteiro esperando o dia da corrida, pensando em como vai enfeitar a cadeira para a competição. Por ele, participava todos os meses, sempre com um personagem diferente", brinca ela.

A alegria de participar das atividades era visível não apenas nos rostos dos pequenos competidores como também do próprio público. Os estudantes da Escola Arnaldo Faria, por exemplo, foram até o ginásio demonstrar o apoio e torcida para dois estudantes da instiuição que estavam disputando. "Nossa escola é extremamente inclusiva, que respeita e aceita as diferenças. No ano passado, prestigiamos a corrida, mas sem competidores. Neste ano voltamos, desta vez com torcida organizada para nossos alunos", conta a professora de atendimento educacional especializado, Patrícia Silva.

Quando a corrida iniciou, as cores das fantasias, os sorrisos de alegria e a concentração para a superação tomaram conta da pista de 26 metros, por onde passaram palhaços, princesas, reis e até mesmo personagens inéditos, como a Chiquinha, companheira de travessuras do Chaves, e o Licurgo Gaiteiro e seu fiel escudeiro canino. Em seguida, a comissão julgadora apresentou os vencedores da tarde: o cadeirante mais original da competição foi Artur Ferraz, que se apresentou em seu trono de rei; a representante dos competidores de baixa mobilidade que mais chamou a atenção foi Isabele de Souza, que personificou a Chiquinha. Já a Escola de Ensino Fundamental Roberto Burns ganhou o troféu como a torcida mais animada da festa.

A atividade encerrou com uma sessão proporcionada pela Ciclo Regert, uma das parceiras desde as primeiras edições do evento, que disponibilizaram passeios de bicicletas às crianças com baixa mobilidade.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...