ANO: 26 | Nº: 6541
29/08/2018 Fogo cruzado

Governo Divaldo tem aprovação de 74,25% em pesquisa do Instituto Methodus

Foto: Antônio Rocha

Resultados foram divulgados ontem, durante coletiva de imprensa
Resultados foram divulgados ontem, durante coletiva de imprensa
Pesquisa do Instituto Methodus, divulgada ontem, aponta um alto índice de aprovação do governo do prefeito Divaldo Lara, do PTB. O levantamento, encomendado pela Associação e Sindicato Rural de Bagé, ouviu 400 pessoas de ambos os sexos, com 16 anos ou mais, em 47 bairros, entre os dias 15 e 19 de agosto. A margem de erro é de 4,9%, para mais ou para menos. Um total de 22,75% dos entrevistados (91 pessoas) não aprovam o trabalho do petebista; e 3% (12 pessoas) não souberam opinar. A aprovação, portanto, é de 74,25% (297 pessoas).
A pesquisa considera variáveis distintas, estabelecendo grupos de idade, gênero, escolaridade e renda. Em uma escala de péssima a ótima, a administração de Divaldo foi considerada boa por 43,25% (173 pessoas) e regular por 33% (132 pessoas). Pelo menos 14,75% (59 pessoas) classificaram a gestão como ótima e 3% (12 pessoas) como ruim. Na média, em uma escala de 1 a 10, os entrevistados conferiram desempenho de 7,06 ao prefeito petebista.
O Sindicato Rural declarou apoio à candidatura de Divaldo, em 2016, e indicou o nome de Cléber Zuliani Carvalho, integrante da diretoria, para responder pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Rural (SDR). Durante a apresentação da pesquisa, o presidente da entidade, Rodrigo Moglia, classificou o índice de aprovação como positivo. “Poucas prefeituras, de acordo com o que nos foi repassado, têm este nível de aprovação. O resultado nos orienta, no sentido de que a Associação Rural acertou no apoio que deu ao governo municipal. É o retorno que estamos dando ao associado”, pontua.


Diálogo
O presidente da Associação Rural destacou, durante a coletiva de imprensa convocada para apresentar os resultados do levantamento, que a entidade está satisfeita com a relação com o governo. “Temos um diálogo muito franco e aberto, com abertura para colocar posições e demandas do setor”, disse, ao destacar que a classe não busca novos espaços na gestão. “Cléber nos representa muito bem”, garante.
Moglia destacou, ainda, que o Executivo demonstra sensibilidade às pautas da categoria. “A prefeitura não reajustou o valor da terra nua, que serve para cálculo de ITR (Imposto Territorial Rural). Isso é fruto do entendimento de que o mercado e a economia rural, em função da seca e do preço da pecuária, não comportaria o reajuste. Seria uma coisa pouco significativa para a prefeitura, que recebe uma parte do repasse do imposto, mas é significativa para quem paga. Este exemplo demonstra que existe um trânsito e um diálogo positivo entre o setor agropecuário e o governo”, disse.


Posicionamento
O dirigente da Associação Rural destacou que a entidade entende a política como uma ferramenta necessária para o desenvolvimento. “As coisas, no País, mudam através da política. Cada vez mais, as entidades têm que fazer seu papel, estarem atentas ao cenário e participarem ativamente. A todos os candidatos que aqui vieram, colocamos que é preciso reduzir o tamanho e o custo do Estado”, elencou, ao destacar que a posição já foi apresentada ao chefe do Executivo. “Temos colocado isso também ao prefeito, no sentido da diminuição da máquina. Já sugerimos ao prefeito, inclusive, um programa de demissão voluntária”, salientou.
O secretário Cléber, que representa a entidade na gestão, afirmou que a pesquisa representa um instrumento importante para a associação. “Além de prestar contas ao associado, nos faz concluir que estamos no caminho certo”, avaliou.


Cenário eleitoral
Novo levantamento deve ser divulgado pela Associação Rural até o final de setembro. A pesquisa, porém, deve mensurar a intenção de votos dos bajeenses. “Será avaliado o cenário eleitoral para governador, senador e presidente. Achamos importante sabermos em quem o bajeense vai votar para podermos orientar nossas ações”, justificou Moglia.
O atual levantamento, revelou Moglia, ficará disponível no site da Associação e Sindicato Rural (www.ruralbage.com.br).


Avaliação
Divaldo atribui o resultado ao trabalho da equipe de governo, mencionando obras nas áreas de infraestrutura e habitação. “A gestão virou referência para outras cidades, com projetos que avançaram desde o ano passado”, comemora.
O prefeito também destaca a relação do governo com instituições da cidade. “O índice é, de fato, produto de muito esforço, mas também de articulação com parceiros muito importantes, a exemplo da Urcamp, em um convênio que serve, inclusive, de modelo para cofinanciamento do SUS (Sistema Único de Saúde)”, qualificou o chefe do Executivo, se referindo ao acordo que viabiliza a realização de exames pelo Hospital Universitário (H.U) Doutor Mário Araújo, mantido pela Fundação Attila Taborda (Fat/Urcamp).
A articulação do prefeito também é observada pela reitora da Urcamp, professora Lia Maria Herzer Quintana. “Quando existe parceria entre o poder público e as instituições, quem vai ganhar sempre é a população. Este resultado (da pesquisa do Instituto Methodus) se deu à visão moderna do prefeito, de como tem que ser um município”, define.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Outras edições

Carregando...