ANO: 25 | Nº: 6381
30/08/2018 Cidade

Alta do dólar diminui mais de 70% o movimento em Aceguá, estima prefeitura

Foto: Divulgação

Turismo de compras é um dos principais atravivos do município
Turismo de compras é um dos principais atravivos do município

A instabilidade cambial provocada pela alta do dólar e a desvalorização do Real está deixando as cidades de fronteira, como Aceguá, no Uruguai, em uma situação preocupante. A prefeitura estima que houve uma queda de mais de 70% no movimento, o que afeta os dois lados da fronteira. O acompanhamento está sendo realizado pelo Gabinete de Gestão Integrada (GGI).

De acordo com o secretário executivo do GGI, Marcelo Rodrigues Pinheiro, a situação, por ser recente, ainda não afetou os empregos, mas é possível que os free shops coloquem os trabalhadores no seguro de paro (modalidade semelhante ao seguro-desemprego). Pinheiro comenta que a situação também afetou o comércio no lado brasileiro. “Diminui o turismo e, com isso, o serviço dos dois lados da fronteira”, avalia.

Conforme o secretário executivo do GGI, uma das apostas do governo é a implantação dos free shops no lado brasileiro. A prefeitura está em tratativas para o início das atividades. O decreto para a instalação foi assinado em maio deste ano pelo prefeito Gerhard Martens. Logo após, foi formada uma comissão para tratar do tema.

A crise não é novidade em municípios de fronteira. No final de 2015, a instabilidade cambial provocada também pela alta do dólar e a desvalorização do Real, ocasionou uma crise no comércio local, que viveu uma redução significativa nas vendas, tendo demissões como consequência.

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...