ANO: 26 | Nº: 6523
01/09/2018 Cidade

Fundação José e Auta Gomes participa do maior programa socioambiental da América Latina

Foto: Tiago Rolim de Moura

Valor obtido com a venda das tampinhas é revertido para a entidade assistencial cadastrada
Valor obtido com a venda das tampinhas é revertido para a entidade assistencial cadastrada
Há cerca de dois meses, a Fundação Geriátrica José e Auta Gomes participa do projeto Tampinha Legal, maior programa socioambiental de caráter educativo de iniciativa da indústria de transformação do plástico da América Latina.
O programa, lançado em 2016, propõe ações modificadoras de comportamento de massa através do fomento e incentivo da coleta de tampas de plástico. Este material é destinado a empresas que utilizam as tampas como matéria-prima para reciclagem. As entidades que repassam as tampinhas recebem um valor por quilo.
A presidente do Conselho Diretor da Fundação, Zazi Vargas, avalia a iniciativa como uma forma não apenas de preservar o meio ambiente, mas, também, de ajudar uma entidade assistencial. Já estão sendo arrecadados materiais, tanto na própria sede, quanto em locais parceiros da iniciativa, como LEB, Livraria Caminhos, Casa do Pão, Restaurante Becker, Santa Hora e Vitrine Restaurante, além de instituições de ensino particulares da cidade.
A assistente social da entidade, Káren Fernandes Gonçalves, destaca que não são arrecadadas apenas tampas de garrafa PET, mas qualquer tampa plástica. "Vale tampa de pote de margarina, de sorvete, de achocolato ou café e de produtos de limpeza", explica.
O material doado é separado por cores, ação que os próprios idosos assistidos pela casa fazem. "É uma atividade que eles gostam de fazer para passar o tempo. As tampinhas separadas por cores têm um valor maior", comenta Káren.
O projeto não depende apenas da solidariedade dos bajeenses, mas, ainda, de logística. Isto porque o transporte das tampinhas até a usina de reciclagem, em Porto Alegre, é de responsabilidade de cada entidade participante. "Precisamos de apoio de um veículo grande para levar todo este material até Porto Alegre, mas somente quando atingirmos um volume bem expressivo, para valer a pena", explica Zazi.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...