ANO: 25 | Nº: 6356
06/09/2018 Cidade

Urcamp promove Semana Acadêmica Integrada do Centro de Ciências Sociais Aplicadas

Foto: Chrystian Ribeiro/Ascom

Debates lotaram o auditório do Complexo Cultural do Museu Dom Diogo de Souza
Debates lotaram o auditório do Complexo Cultural do Museu Dom Diogo de Souza
A programação da Semana Acadêmica Integrada do Centro de Ciências Sociais Aplicadas reúne os cursos de Direito, Administração, Ciências Contábeis e Jornalismo da Urcamp, desde o início da semana, para uma série de debates. Um dos temas abordados foram as notícias falsas, através do evento "Fake News: Reflexões na área das Ciências Sociais Aplicadas". Com o complexo cultural do Museu Dom Diogo lotado, a noite de segunda-feira foi marcada com um debate, em forma de mesa redonda. Dentre os convidados, três nomes em diferentes áreas de atuação para dissertaram aos presentes.

O jornalista Fábio Almeida, do Grupo RBS, que é membro do Grupo de Investigação (GDI) e integra a equipe de repórteres que fazem parte da produção e matérias para o Fantástico, foi um dos convidados. O repórter destacou que o fenômeno das fake news na política está disseminado e afeta a todas as pessoas. Os motivos são muitos, mas, nesse contexto, três deles se projetam: política, religião ou fanatismo. Hoje, segundo o repórter, já tramitam 20 projetos no Senado para criminalizar a fake news, o que demonstra que existe uma preocupação política em relação ao tema. "Isso é uma arma que está nas mãos das agências e de pessoas mal-intencionadas", argumenta. Almeida ainda advertiu que já existem empresas contratadas para apurar o que são notícias falsas e verdadeiras, como o próprio GDI da RBS.

Outro debatedor convidado para discutir outra ótica da fake news foi o empresário do setor supermercadista Patrique Nicolini, que relatou inúmeras situações envolvendo a empresa da família, onde atua como gestor. O jovem empresário conta que muitas vezes uma notícia falsa se propaga de maneira irresponsável. "Na maior parte das vezes, as fake news acabam sendo compartilhadas sem que seja checada por quem as multiplicam. O que, por vezes, acarreta em danos irreparáveis para a empresa. Precisamos refletir em relação ao que vemos e compartilhamos na internet, é preciso que a gente pense que todos nós temos responsabilidade nisso, ter consciência é fundamental", resumiu.

Na área do Direito, o convidado foi o advogado Felipe Dalenogare Alves, doutorando e mestre em Direito, que abordou as formas de proteção que a lei confere em situações que envolvem as fake news - que são praticamente inexistentes, de acordo com o especialista. A maneira mais viável ainda de se procurar a Justiça, para ele, caso alguém - pessoa, física ou empresa - se ache prejudicado é no formato convencional, ou seja, através de ação com alegação de calúnia, difamação ou injúria.

A abertura do evento foi feita pela reitora da Urcamp e presidente da Fundação Atilla Taborda, professora Lia Quintana, que destacou a importância do tema. "Atinge a nós todos. Temos que saber que é preciso cada vez mais checarmos as informações que nos chegam e procurarmos sempre veículos de comunicação confiáveis", reafirmou. A mesa redona foi mediada pela jornalista e docente do curso de Jornalismo da Urcamp, professora Roberta Mércio.


Debates jurídicos

A primeira noite foi direcionada aos acadêmicos do curso de Direito e contou com a presença do presidente do Tribunal de Ética e Disciplina da OAB/RS, César Souza. A entidade realizou um julgamento simulado de processos contra advogados que feriram o Estatuto de Ética da OAB. O coordenador do curso, Heron Vaz, destacou a interatividade e o aprendizado ao acadêmico. "A ética é um dos termos mais relevantes da sociedade brasileira contemporânea. No cenário atual, formar profissionais éticos é a principal preocupação e responsabilidade das instituições de Ensino Superior, fundamentalmente da nossa Urcamp e do curso de Direito", revela.

Outro momento importante foi a palestra do jurista Amadeu Weinmann, considerado referência na área, no País. Por quase duas horas, o advogado, com mais de 50 anos de atuação jurídica, chamou a atenção dos estudantes presentes no auditório do complexo. "Acho importante a gente ter a consciência, o mundo é uma troca de ensinamentos, só os mais egoístas ocultam o que aprenderam", argumenta.

Assessoria de imprensa

O curso de Jornalismo, por sua vez, apresentou, na segunda noite da Semana Acadêmica de 2018, a proposta de debater a função das assessorias de imprensa. Para ampliar a discussão e qualificar o tema, os alunos do Jornalismo da Urcamp receberam as jornalistas Simôni Costa Gervásio (assessora da Usina Pampa Sul) e Manuela Bergamin (assessora da Embrapa Pecuária Sul).
Mediadas pelas professoras Cristiane Pereira e Graciela Freitas, as convidadas desenvolveram táticas de produção e difusão de notícias e sugestões para treinamento de fontes, prática denominada media training. O trabalho destacou as características de assessorias voltadas tanto ao setor público quanto para organizações privadas.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...