ANO: 25 | Nº: 6330
10/09/2018 Cidade

Mudança de horário de desfile do Sete de Setembro agrada público

Foto: Antônio Rocha

Instituições de ensino da rede municipal homenagearam músicos da terra
Instituições de ensino da rede municipal homenagearam músicos da terra

Mesmo em meio ao cenário político e social conturbado, o desfile militar e a caminhada cívica de 7 de Setembro levou milhares de pessoas ao centro da cidade, na sexta-feira. Neste ano, a atividade foi realizada no período da manhã e ganhou aprovação do público, superior a cinco mil pessoas, segundo informações da coordenação de segurança da atividade.
Pouco antes das 9h, o comandante da 3ª Brigada de Cavalaria Mecanizada, general Carlos Augusto Ramires Teixeira, desceu a avenida Sete de Setembro em veículo aberto, após passar as tropas em revista antes do desfile. Com ele, esteve o prefeito Divaldo Lara.
Em seguida, as crianças que participam dos projetos sociais Pelotão Miriam do 6º Regimento de Polícia Montada (RPMon) e Pelotão de Bombeiros Mirim do Corpo de Bombeiros de Bagé arrancaram aplausos do público, mostrando a organização na marcha. Também passaram pela avenida Sete de Setembro os militares que fizeram parte das missões de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) e representantes de todas as unidades militares do município, entre elas Hospital de Guarnição de Bagé, Brigada Militar e Corpo de Bombeiros.
Uma das unidades que mais chamou a atenção do público foi a dos integrantes da Bateria Histórica, que levaram, ao centro da cidade, um pouco sobre a trajetória militar na história de Bagé, que nasceu de um acampamento de oficiais, há mais de dois séculos. Montados a cavalo e vestidos a caráter, os militares apresentaram uma reprodução da artilharia que participou da defesa da Bagé durante o cerco de 1893; e também os uniformes utilizados pelos praças bajeenses durante a missão brasileira na Itália, na Segunda Guerra Mundial, a bordo de uma viatura histórica, o Jeep Willys utilizado à época.
Em seguida, iniciou a descida das cerca de 84 instituições da cidade, entre escolas da rede municipal e privada, clubes de serviço e projetos sociais. Durante o desfile, neste ano, cada escola da rede municipal carregou, à frente, o nome de um músico da cidade, homenageados durante o ato.
Entre o público que esperava o desfile estava Cláudia da Silva. Enquanto aguardava a passagem do filho de 15 anos, integrante da banda do Justino Costa Quintana, ela avaliou a importância da data. "Estamos em um momento muito delicado da história e acho que atividades como essa (desfile e caminhada cívica) são importantes para valorizar o país e relembrar a nossa história", destaca.
Lucimar Moreira também aguardava a passagem dos filhos, desfilando pela Escola Justino Costa Quintana. Pela primeira vez assistindo ao ato na cidade, já que chegou há pouco em Bagé, ela conta que aprovou a mudança de horário. "Na verdade, nunca tinha participado do desfile aqui, mas acho que o desfile durante a manhã é mais agradável, para quem desfila não precisar ficar em pé no sol forte por muito tempo", comenta.

Mais imagens

Deixe seu comentário abaixo

Mais notícias da edição

Outras edições

Carregando...